Sabia que nos Açores vivem diferentes tipos de cetáceos? Uns residentes, outros nas suas rotas migratórias (dependendo da época do ano) e a actividade de whale watching, isto é, observar baleias e golfinhos em liberdade, no seu habitat, é uma das atividades estrela em Ponta Delgada, na maior ilha dos Açores, São Miguel.

Neste artigo contamos-lhe tudo o que precisa de saber para fazer whale watching, ou seja, observação de cetáceos (baleias, golfinhos, cachalotes) da forma mais respeitosa possível, a partir de um barco que parte da capital da maior ilha dos Açores, Ponta Delgada, em São Miguel.

Observar baleias e golfinhos no seu habitat é uma das experiências mais incríveis que tivemos nos nossos dois meses nos Açores.

Reserve aqui o seu passeio de barco para observar baleias, golfinhos e cachalotes na natureza a partir de Ponta Delgada

Para tudo o que há para fazer na ilha, recomendamos o nosso guia completo de São Miguel.

Porquê observar baleias em Ponta Delgada (São Miguel, Açores)?

Se está prestes a viajar para um paraíso chamado Açores, muito provavelmente vai aterrar na maior ilha do arquipélago, São Miguel, e ficar perto da sua capital, Ponta Delgada. Se for esse o caso, ou mesmo se já estiver a explorar esta ilha no meio do Oceano Atlântico, saiba que uma das atividades a não perder é a observação de baleias e golfinhos no seu habitat. O arquipélago alberga cachalotes, golfinhos comuns, golfinhos pintados e roazes, e é possível ir de barco cumprimentá-los, à distância e com respeito, claro.

No Randomtrip fazemo-lo sempre que visitamos o arquipélago e já tivemos a oportunidade de cumprimentar uma baleia azul (o maior mamífero do mundo), três baleias da Sardenha (a terceira maior do mundo) e vários golfinhos. O mais importante é certificar-se de que vai com uma empresa que respeita as regras de sustentabilidade e proteção dos animais (distância segura entre o barco e as baleias, etc.), por isso neste guia vamos contar-lhe a nossa experiência, que o fará não querer perder esta atividade, e o que deve ter em conta antes de reservar a excursão de observação de baleias.

Uma das três baleias sardinheiras (a terceira maior do mundo) que vimos nos Açores.

Que espécies de cetáceos (baleias, golfinhos, cachalotes) posso ver em Ponta Delgada (São Miguel, Açores)?

Nas águas que rodeiam o arquipélago dos Açores é possível avistar mais de vinte espécies de cetáceos, tanto residentes como migratórios. Entre estas espécies, a que mais desejará ver a partir do barco é o belo cachalote, símbolo dos Açores e cuja cauda fotogénica a emergir do mar, é uma imagem, que todos nós que embarcamos numa aventura de observação de cetáceos, ambicionamos.

O cachalote, um dos símbolos dos Açores. Foto de VisitAzores

Mas há muitas mais! Nos Açores pode ver a baleia azul gigante, o maior mamífero do mundo, a Sardinheira, a Borba, a Comum, a Piloto, a Anã, a Bossa e até as orcas, embora estas últimas sejam muito raras.

Foto que tirámos da placa antes de embarcarmos no nosso passeio de barco para observação de baleias.

Qual é a melhor altura para observar baleias e golfinhos em Ponta Delgada (São Miguel, Açores)?

Abril e maio são normalmente os melhores meses para a observação de baleias, embora estas águas atlânticas sejam suficientemente quentes para as baleias durante todo o ano, pelo que poderá ter sorte em qualquer mês que visite o arquipélago. Se o seu sonho é observar o maior mamífero do mundo, a impressionante baleia azul, saiba que esta passa pelos Açores no final do inverno e pode atingir os 35 metros de comprimento! A Inês viu-a com a mãe e a irmã em março, em São Miguel e no Randomtrip vimos outras espécies de cetáceos (como a baleia sardinheira) na ilha do Pico em maio.

Uma das imagens mais esperadas num passeio de observação de baleias: uma cauda a abanar! Foto de VisitAzores

A observação de baleias é garantida no passeio de barco?

Toda a gente espera ver um cachalote ou uma baleia durante um passeio de barco de observação de baleias. É importante ajustar as suas expectativas ao fazer este passeio, pois está a fazer algo bonito e responsável, que é tentar observar um animal no seu habitat, e por isso, é como jogar na lotaria e não saber se o animal vem cumprimentá-lo ou não. Quase todos os operadores anunciam que lhe permitirão repetir a excursão gratuitamente se não forem avistados cetáceos, mas é praticamente impossível não ver golfinhos, pelo que, na prática, essa cláusula é mais marketing do que outra coisa.

É comum os golfinhos acompanharem o barco durante o passeio de barco para observação de cetáceos . Foto de VisitAzores

Qual a duração da excursão de observação de cetáceos em Ponta Delgada (São Miguel, Açores)?

A excursão de observação de baleias dura cerca de 3 horas , durante as quais, o barco em que se encontra está em comunicação com os diferentes pontos de vigia em terra que comunicam se virem algo “grande” para tornar a sua experiência a melhor possível e para que possa ver o maior número de espécies possível.

Como fazer uma observação de baleias de forma responsável?

A observação de baleias na natureza de forma respeitosa deve incluir as seguintes regras:

  • Aproximação de animais com velocidade reduzida e constante
  • Distância mínima de 50 metros do animal
  • Evitar a presença de várias embarcações (máximo 3 barcos) num raio de 150 metros em torno do grupo de cetáceos.
  • Nunca mais de 10-15 minutos com o mesmo animal/grupo de cetáceos.
  • Compromisso ético para com os animais e o ambiente

Na atividade de observação de baleias, respeitar o comportamento indicado pelo centro e desconfiar se estas medidas não forem aplicadas.

Espetáculo de golfinhos livres e felizes no seu habitat a uma distância prudente e responsável do barco. Foto de VisitAzores

É possível nadar com baleias e golfinhos?

Nadar com baleias é estritamente proibido nos Açores, exceto com uma autorização especial (para investigação e afins). Pode ler o texto legal aqui.

Nadar com golfinhos é permitido sob um conjunto de regras, mas, infelizmente, estas regras não garantem o bem-estar dos animais e esperamos que também o proíbam no futuro. No Randomtrip aconselhamos vivamente a não participar em excursões de natação com golfinhos. Se quiser perceber as razões, recomendamos-lhe que leia esta carta aberta do operador com quem fizemos a excursão de observação de baleias na Ilha do Pico.

Golfinhos felizes e a única forma que deveria ser permitido vê-los: em liberdade. Foto de VisitAzores

A nossa experiência de observação de cetáceos nos Açores

No Randomtrip não perdemos a oportunidade de cumprimentar estes simpáticos gigantes sempre que podemos, e assim que soubemos que os Açores eram um dos locais ideais para o fazer, não hesitámos. A primeira experiência foi a da Inês (Randomtrip) com a sua mãe e irmã, quando puseram os pés no arquipélago em 2013. Decidimos viver esta experiência juntas em Ponta Delgada (São Miguel) sem saber o que nos esperava e fico com os cabelos em pé sempre que me lembro de ver aquela baleia azul, com mais de 20 metros de comprimento, a passar pelo nosso barco, tranquilamente .

A Inês a observar uns quantos golfinhos a fazer show off

Mais recentemente, juntamente com a outra metade da Randomtrip, com o Chris, fizemos esta atividade na ilha vizinha do Pico. No passeio, fomos recebidos por alguns roazes, que também podem ser vistos em Setúbal, onde o rio Sado encontra o Oceano Atlântico.

Os Roazes cumprimentam-nos no início da viagem de barco

Depois juntou-se-nos um grupo de mais de vinte golfinhos comuns que vieram a acompanhar o nosso barco, muito brincalhões. Durante as três horas do passeio de barco de observação de cetáceos, os vigias estão em constante comunicação com o barco para o caso de avistarem algo “grande” e, de repente, quando ouvimos o nosso capitão receber um aviso, chegamos ao ponto indicado pelo vigia e, em silêncio e expectativa, esperamos por uma pista ou, melhor dizendo, uma pegada (sabem que as baleias deixam pegadas à superfície?). Olhamos para a esquerda da pista e …. Olá baleia! Era uma sardinheira, a terceira maior baleia do mundo. No total vimos três baleias, vários roazes e um grupo muito simpático de golfinhos. Tudo isto com a magnética montanha do Pico, como tela de fundo. Um dia cheio e feliz que estamos ansiosos por repetir.

Olá baleia sardinheira!

Despedimo-nos da baleia com a alma cheia (rima e é verdade) e se também o quiser fazer, reserve aqui.

Reserve a sua observação de cetáceos em São Miguel aqui e a sua observação de cetáceos na ilha do Pico aqui

Se quiser mais informações sobre a ilha açoriana do Pico, aqui está o guia completo (e gratuito) da Randomtrip sobre a ilha.

Até as gaivotas se uniram à festa

Uma breve história da observação de cetáceos nos Açores

Se hoje a observação de baleias é contemplar a beleza dos cetáceos no seu habitat, tornar visível a sua importância no ecossistema e promover a proteção dos oceanos, nem sempre foi assim. No passado, a observação de cetáceos era… caça. A caça à baleia – a“baleação” – foi uma atividade económica muito importante nos Açores (principalmente na ilha do Pico, mas não só), durante cerca de 50 anos e os números são chocantes: entre 1896 e 1949 foram caçadas cerca de 12 mil baleias. A atividade foi felizmente proibida quando Portugal aderiu à então Comunidade Económica Europeia (CEE) em 1986, mas foi ainda em 1987 que o último cachalote foi caçado na ilha do Pico.

Um dos pontos de vigia para a observação de baleias: antes, para avisar os baleeiros onde estavam para as caçar com arpões. Agora, felizmente, para as caçar unicamente com a vista. Esta fotografia é de um posto de vigia nas Lajes do Pico

Em várias ilhas dos Açores encontra o “Museu Baleeiro”, espaços que tentam retratar a dura vida dos baleeiros (maioritariamente homens), explicando a partir do seu quotidiano a própria caça nas pequenas e frágeis embarcações, os botes baleeiros. Uma atividade muito dura onde os animais e alguns dos humanos que a ela se dedicavam perderam a vida. O objetivo: produtos derivados do cachalote e de outras baleias: óleos para iluminação e lubrificantes (principalmente para exportação) e vários tipos de farinha (feita a partir dos ossos). É normalmente uma visita em que se engole em seco muitas vezes, sobretudo depois de se ter cumprimentado os belos e majestosos cetáceos na sua casa atlântica. Em Ponta Delgada, São Miguel, pode visitar-se a “Fábrica da Baleia“, embora o museu mais completo seja o Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, na ilha do Pico, onde a baleação teve a sua maior expressão.

Museu dos Baleeiros, Lajes do Pico, Ilha do Pico

É precisamente na vila da Calheta de Nesquim (Ilha do Pico) que se diz ter começado a atividade baleeira, e fotografias antigas na Casa dos Botes (a casa onde agora “dormem” os barcos, os baleeiros) testemunham esses anos. Atualmente (e felizmente) os barcos são utilizados para regatas e é muito provável que, ao visitar a Calheta de Nesquim, veja alguns jovens a treinar ao fim da tarde. As ilhas do Pico e do Faial dominam frequentemente os campeonatos regionais de regatas.

Barco baleeiro utilizado na prática de uma regata por um grupo de jovens, na Calheta de Nesquim, Ilha do Pico.

Reserve aqui o seu passeio de observação de cetáceos em São Miguel

Caminhadas: A Rota da Baleia em São Miguel

Se gosta de caminhadas, pode conhecer esta história a pé. Em São Miguel espera-o a Rota da Baleia, um percurso de 3,3 km em Capelas, onde a indústria baleeira foi mais popular na ilha, passando por vários locais de visita obrigatória. Pode encontrar toda a informação sobre o percurso, com paragens e mapa, neste link.

Checklist para o passeio de barco de observação de cetáceos: O que levar para o whale watching em Ponta Delgada (São Miguel, Açores)

Aqui está uma lista de itens essenciais que não pode esquecer de levar consigo na sua aventura de observação de baleias:

  • Roupa e calçado confortáveis (no Randomtrip acreditamos que a melhor forma de conhecer os Açores é com trilhos e usamos estas botas-ténis da Columbia).
  • Chapéu, o sol é muito forte
  • Óculos de sol
  • Protetor solar reef friendly, ou seja, sem químicos prejudiciais aos corais, sem oxibenzona e não testado em animais, como este ou este.
  • Uma garrafa de água como uma destas para transportar água consigo em qualquer altura e evitar a utilização de plástico descartável.
  • Um protetor de pescoço, como um destes, para o proteger do vento no barco.
  • Saco impermeável, para manter os seus aparelhos electrónicos seguros no barco. Este, por exemplo, custa 12 euros.
  • Máquina fotográfica para registar as aventuras açorianas. Levámos uma Sony A5100 e uma GoPro para imagens subaquáticas.
  • PowerBank: com tantas fotos, vai gastar muita bateria, por isso é sempre uma boa ideia levar uma boa powerbank consigo. Viajámos com estas 2 (Xiaomi e Anker), que nos permitem carregar os nossos smartphones, a câmara e a GoPro.
  • Estojo de primeiros socorros: o nosso estojo de primeiros socorros inclui sempre um medicamento contra o enjoo (como a biodramina para o enjoo nos barcos), antibióticos, antidiarreicos (e um probiótico para nos ajudar a recuperar mais rapidamente), anti-histamínicos, analgésicos e antipiréticos. Em todo o caso, viaje sempre com um seguro de viagem e se fizer o seu seguro através deste link tem um desconto de 5%.
Equipa Randomtrip super preparada para a aventura

Recomendações para desfrutar da observação de baleias e golfinhos sem enjoar (e não enjoar alguém)

  • No Randomtrip, temos tendência para enjoar nos barcos, por isso, se for o seu caso, aconselhamos que tome um comprimido de biodramina 30 minutos antes da viagem para evitar o enjoo e desfrutar ao máximo da experiência.
  • Respeite sempre o comportamento do centro, não faça barulho, não suba para o barco e desconfie se a atividade de observação de cetáceos não incluir medidas de respeito e sustentabilidade (por exemplo: velocidade reduzida e constante do barco e distância mínima de 50 metros do animal; evitar a presença de vários barcos num raio de 150 metros à volta do grupo de cetáceos e não permanecer mais de 10 minutos com o mesmo animal).
  • Nunca tente tocar ou alimentar um animal – não seja cúmplice de maus tratos a animais!
  • Não compre artesanato feito de animais marinhos ou retirado do mar (por exemplo, dentes de golfinho, carapaças de tartaruga, mandíbulas de tubarão, marfim de cachalote, …). O comércio do marfim, atualmente o único produto valioso do cachalote, continua a ser um argumento para os caçadores. Compre artesanato local feito de materiais alternativos, como madeira, pedra ou marfim vegetal.
  • Respeite os animais, as outras pessoas e a ilha: não ponha a sua música a tocar alto no barco (se quiser ouvir música, use auscultadores), não deixe lixo, não deite pontas de cigarro, etc. (se encontrar plástico, apanhe-o).
  • Não permitir a perturbação, a poluição e a destruição dos habitats de nidificação das aves marinhas. Os cagarros são uma ave migratória que nidifica nos Açores e que na sua viagem lhe soará pelo seu particular canto de “awa awa” como se estivessem a cantar o refrão da música Video Killed by Radio Star. Para evitar situações de captura ou atropelamento de cagarros juvenis na estrada, o Governo dos Açores promove anualmente a Campanha SOS Cagarro, sobre a qual recomendamos que se informe quando chegar ao arquipélago.
  • Viajar sempre com um seguro de viagem: despesas médicas, roubo ou problemas com o avião durante uma viagem podem custar-lhe muito dinheiro, pelo que o ideal é fazer um seguro de viagem. Nós utilizamos sempre a IATI e recomendamo-la. Se subscrever o seu seguro através deste link obtém um desconto de 5%.
Biodramina abençoada 30 minutos antes de entrar. Quem avisa não é traidor…

Reserve já o seu passeio de barco para observar baleias, cachalotes e golfinhos em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, nos Açores!

E, se preferir, este passeio é um 2 em 1: observação de baleias e uma visita ao belo ilhéu de Vila Franca do Campo, um antigo vulcão submerso onde a sua cratera inundada forma um círculo quase perfeito, com uma pequena abertura para o mar. Reserve esta excursão completa aqui

Reserve aqui a sua excursão de meio dia para observação de baleias. Foto de VisitAzores

Onde ficar em Ponta Delgada (São Miguel)

No Randomtrip ficámos no Ladeira Loft (a partir de 60€/noite), um apartamento T1 muito espaçoso no centro de Ponta Delgada (muito perto do mercado da Graça) com vista para o Atlântico.

Eu a desfrutar de um vinho do Pico, em São Miguel, ao fim do dia com a vista do nosso terraço no Ladeira Loft

A preços mais acessíveis, o Nook Hostel (a partir de 40 euros/noite), no coração do centro histórico, tem apartamentos com 2 quartos, quartos privados e camas em dormitório. Também entre as opções mais económicas está o Holy Cow (a partir de 50 euros/noite), um hostel com quartos com casa de banho privativa e dormitórios.

O Hotel do Colégio ( 55€/noite), um belo hotel num edifício do século XIX com uma piscina, no centro de Ponta Delgada, foi o hotel onde eu, a minha mãe e a minha irmã ficámos na primeira vez que visitámos a ilha e adorámos.

O Hotel do Colegio está localizado no coração de Ponta Delgada, perto dos melhores restaurantes e bares da cidade.

Os nossos amigos Catarina e Ricardo visitaram São Miguel recentemente e adoraram ficar na Casa da Graça (quartos a partir de 70€/noite), um hotel gerido pelos encantadores Vânia e Sérgio que nos fazem sentir em casa, em Ponta Delgada, para além dos ótimos quartos (e pequenos-almoços):

Reserve aqui o seu quarto na Casa da Graça. Foto de Booking.

Se quiser mimar-se com um gin tónico num jacuzzi com vista para o mar sem gastar muito, então quer ficar no Garoupas Inn (a partir de 75 euros/noite):

Um jacuzzi no terraço: Pousada Garoupas, foto de Booking

Os Armazéns Cogumbreiro foram o maior estabelecimento comercial da ilha, num edifício renovado de 1913, no centro, com quartos espaçosos e luminosos, também a partir de 75€/noite.

Quarto nos Armazéns Cogumbreiro, foto de Booking.

Se quiser algo mais requintado, o Azor Hotel (130 euros/noite) tem quartos fantásticos com vista para o Atlântico.

Encontrar mais alojamento em Ponta Delgada aqui

Se quiser mais informações para a sua viagem aos Açores, não perca o nosso guia gratuito Randomtrip sobre o que ver nas 9 ilhas dos Açores:

Randomtrip com a alma cheia depois de cumprimentar uma baleia!

Do que está à espera para ver estas belezas no seu habitat? Reserve já o seu passeio de barco de meio dia para observação de baleias em São Miguel, Açores.

Todas as fotografias e conteúdos são da autoria do Randomtrip (exceto aqueles que expressam claramente a sua fonte) e têm todos os direitos reservados.

Disclaimer: este guia contém links de afiliados e, ao usá-los, estará a dar uma pequena comissão ao Randomtrip. A si não lhe custa nada, por vezes até ganha um desconto, mas a nós motiva-nos para continuar a criar guias gratuitos tão completos como o que acabou de ler.

Gostou do nosso guia? Pode poupar e apoiar o nosso trabalho!

Se o nosso guia foi uma boa ajuda para a sua viagem, pode apoiar este projeto e poupar nas suas reservas usando os seguintes links:

  • 5% de desconto no seu seguro de viagens com a IATI
  • Até 15% de desconto na Booking.com
  • Alugue um carro ao melhor preço com DiscoverCars
  • Reserve os seus tours com antecedência e não fique sem lugar com a Civitatis
  • Encontre voos baratos no Skyscanner e na Kiwi
  • Não fique sem internet na sua viagem com os cartões SIM da Holafly até 5% de desconto (usando o código RANDOMTRIP)
  • Faça os cartões Revolut e N26, com os quais pode levantar dinheiro sem comissões em multibancos de todo o mundo

Para além disso, se quiser contribuir para a nossa criação de guias de viagem completos e gratuitos como este, existe outra forma de apoiar o nosso projeto: pode fazer um donativo (com Paypal ou cartão) e convidar-nos a um pequeno-almoço (5€), uma refeição de street food (10€) ou um jantar no destino que estamos a explorar (20€) que depois recomendaremos no guia do destino. Ou pode também fazer um donativo pelo valor que desejar. Mais info aqui

Muito obrigada pelo seu apoio, Randomtripper! Vemo-nos pelo Mundo!

5/5 - (12 votes)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *