Assim que pisamos a ilha de Cozumel, após a curta travessia de ferry, a partir de Playa del Carmen, tivemos um vislumbre do que seriam os nossos dias na ilha. Por um lado, o azul intenso de um mar cheio de vida prometia alguns dos melhores mergulhos e snorkeling da Riviera Maya. Por outro lado, a venda abrupta e constante de excursões, as muitas lojas de souvenirs de baixa qualidade e os vários restaurantes de cadeias multinacionais, lembravam-nos que tínhamos acabado de chegar a uma ilha que vive de e para os cruzeiros que aqui chegam.

Na ilha de Cozumel, mergulhámos na segunda maior barreira de coral do mundo, entre grutas submarinas de mil cores, vimos enormes estrelas-do-mar ao lado de graciosas raias e tartarugas (à distância e sem tocar), nadámos em praias de areia fina e águas azul-turquesa (embora na maior parte dos casos mediante pagamento num clube de praia), vimos crocodilos e flamingos numa zona da ilha que pouco se assemelha ao choque que sentimos à chegada.

As “estrelas” da ilha (Foto Randomtrip, tirada por Memo da Maybe Tours. Todos os direitos reservados)

A verdade é que, na turística Cozumel, a transparência só se reflete nas suas águas. Fora de água, a simples tarefa de reservar um alojamento, um restaurante ou uma excursão pode ser uma ação enervante no meio de preços duvidosos ou que não se correspondem ao que se recebe. É possível, embora não seja fácil, escapar a esta tendência infeliz que Cozumel adotou. Neste guia, tentamos explicar-lhe como fazê-lo, bem como dar-lhe dicas práticas sobre onde ficar, o que visitar e fazer em Cozumel, o que evitar para não cair em armadilhas turísticas e até a que restaurantes ir.

Informação prática para visitar Cozumel

Moeda: MXN ($) Peso mexicano (1 euro equivale a 20$ MXN aprox.). Consulte a taxa de câmbio atual aqui

Língua oficial: espanhol

População: 88.000 (em 2020)

Clima: Como em toda a Península de Yucatán, há duas estações principais, a estação seca (novembro a abril) e a estação das chuvas (maio a outubro, com possibilidade de furacões entre junho e novembro), pelo que é recomendável ir na estação seca (embora em novembro, dezembro e mesmo janeiro ainda haja dias de chuva, dependendo da sorte). Falamos-lhe mais sobre quando ir a Cozumel nesta secção do Guia.

Alojamento: O sítio mais fácil para ficar é em San Miguel de Cozumel, onde há muitas opções de alojamento e restauração. No Randomtrip, ficámos no Hotel Puerto Libre, mesmo no centro, num quarto com vista para o mar, junto ao porto. Se tiver o seu próprio veículo (ou se quiser apenas relaxar e contratar uma excursão que o leve a conhecer a ilha), existem vários resorts, alguns deles com tudo incluído, ao longo da costa oeste da ilha. Leia mais na secção do Guia, Onde ficar em Cozumel.

Duração: Mínimo de 1 dia, mas o ideal para visitar Cozumel são 3 dias (e se quiser ficar e relaxar nas praias, pode acrescentar quantos dias quiser). Nesta secção, partilhamos roteiros específicos para Cozumel para o ajudar a organizar a sua viagem.

Como lá chegar: A forma mais comum de lá chegar é por ferry a partir de Playa del Carmen, embora Cozumel tenha um aeroporto, com voos domésticos e internacionais (recomendamos que utilize sites de comparação de voos como o Skyscanner e o Kiwi e que seja flexível com as suas datas para obter o melhor preço possível). Para mais informações, consulte esta secção do guia.

Visto: Com o passaporte português não precisa de pedir visto. À chegada, bastará apresentar o seu passaporte com uma validade mínima de 6 meses e, dependendo da data de partida, ser-lhe-ão concedidos até 180 dias.

Transporte: A melhor opção é ter o seu próprio veículo (pode trazê-lo no ferry ou alugar uma mota, um buggy, um carro ou um 4×4 na ilha). Caso contrário, existem táxis (muito caros) ou pode contratar excursões. Para mais informações sobre como se deslocar em Cozumel, consulte esta secção do Guia.

Como obter Internet: Se vai passar alguns dias, o seu telemóvel suporta eSIM e não quer complicar as coisas, recomendamos o eSIM da Holafly (dados ilimitados, 5% de desconto com o código RANDOMTRIP). Caso contrário, a forma mais económica é obter um cartão SIM local (recomendamos a Telcel). Para mais informações, clique aqui

Orçamento diário: A partir de 55€/dia (1000 pesos/dia) por pessoa (aprox.) para uma viagem de 3 dias, consoante o tipo de alojamento, as refeições e a sua vontade de explorar a ilha de Cozumel. Para mais informações sobre o orçamento, consulte esta secção do guia.

Fuso horário: UTC -5. Lembre-se que no México existem 4 fusos horários diferentes, dependendo do local onde se encontra, e em Cozumel é entre 5 horas (inverno) e 6 horas (verão) a menos que em Portugal Continental (em Portugal a hora muda, enquanto que no estado de Quintana Roo, ao qual Cozumel pertence, a hora não muda)

O nosso alojamento-capricho na ilha, o Hotel Puerto Libre, e um aniversariante feliz a olhar para o mar (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Onde fica Cozumel

Cozumel é uma ilha das Caraíbas mexicanas situada ao largo da costa da Riviera Maya, no leste da Península de Yucatan, mesmo em frente a Playa del Carmen, que fica a cerca de 30 minutos de barco:

Mapa con la ubicación de Cozumel en México

Quando ir a Cozumel

Ao escolher a melhor altura para visitar Cozumel, há 3 fatores principais a considerar: o clima, a procura turística e o sargaço. Aqui detalhamos quando visitar Cozumel com base nestes fatores.

O clima em Cozumel

O clima em Cozumel, tal como em toda a região da Riviera Maya, divide-se principalmente em duas estações:

  • Época seca (novembro a abril): menor probabilidade de chuva, temperaturas mais amenas (ainda assim é quente). Os meses de inverno (dezembro a março) tendem a ter o melhor tempo, embora dependendo do ano, possa variar, e durante dezembro e janeiro é comum os “nortes” chegarem com chuva, o que pode por vezes causar o encerramento do porto para pequenas embarcações, afetando as excursões (aconteceu em dezembro pouco antes, e também pouco depois da nossa visita). Pode verificar os avisos de encerramento dos portos neste grupo do Facebook.
  • Época das chuvas (maio a outubro): quando chove mais, é mais quente e há probabilidade de ocorrência de furacões (a época oficial dos furacões é de junho a novembro).

Idealmente visite Cozumel na estação seca, para ter mais hipóteses de bom tempo e menos hipóteses de furacões, de dezembro a abril.

Praia de Chunchacab (Reserva Ecológica Punta Sur), em dezembro (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Aqui está uma tabela de resumo do clima em Cozumel para lhe dar uma ideia do que esperar:

Tabela meteorológica de Cozumel com temperaturas e dias de chuva por mês:

MêsTemperatura mínimaTemperatura máximaTemperatura da água (média)Quantidade de sargaçoDias de chuva
janeiro19º27º27ºBaixa6
fevereiro19º28º26ºBaixa5
março19º29º27ºMédia5
abril20º30º27ºElevada4
maio22º31º28ºElevada8
junho23º31º29ºElevada12
julho22º32º29ºElevada11
agosto22º32º29ºMédia12
setembro22º31º29ºMédia16
outubro22º30º29ºBaixa14
novembro21º29º28ºBaixa9
dezembro19º28º27ºBaixa6
MêsTemperatura mínimaTemperatura máximaTemperatura da água (média)Quantidade de sargaçoDias de chuva
Quadro resumo do tempo em Cozumel por mês
No Randomtrip passámos o Natal na ilha. (Foto da Randomtrip, tirada por Memo da Maybe Tours. Todos os direitos reservados)

Sargaço em Cozumel

Outro problema que afeta várias zonas da Riviera Maya e da Península de Yucatán, bem como em Cozumel, é o sargaço, embora, como tudo o resto, dependa do ano. A vantagem de Cozumel é que, sendo uma ilha, o sargaço tende a concentrar-se mais nas praias do lado leste, enquanto o lado oeste, o que está virado para a costa da Riviera Maya, é mais poupado. Além disso, como a maior parte das praias do lado oeste estão praticamente privatizadas por alojamentos e clubes de praia, estas empresas tendem a limpá-las diariamente.

Uma das praias da costa oeste de Cozumel. (Fotografia de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

O sargaço é uma macroalga flutuante que se move com as correntes. Tem uma função importante no oceano (por exemplo, produz oxigénio através da fotossíntese e é um habitat para diferentes espécies). Por outro lado, o sargaço em excesso pode criar problemas no próprio oceano (por exemplo, se se afundar, pode sufocar os corais).

Teoricamente, sempre existiu no Golfo do México, mas desde 2011 começou a aumentar a sua área e quantidades enormes de sargaço começaram a chegar às costas das praias da Riviera Maya mexicana, tornando-as inestéticas e acompanhadas um cheiro nauseabundo.

A quantidade de sargaço que chega e os meses em que aparece variam de ano para ano e são muito difíceis de prever: normalmente, a época vai de abril a agosto, mas, por exemplo, em 2023, começou a aparecer logo em fevereiro.

O governo mexicano e as empresas/hotéis têm várias iniciativas para tentar mitigar os efeitos do sargaço, tais como a limpeza das praias ou mesmo a instalação de redes/barreiras anti-sargaço no mar, mas não são 100% eficazes, pelo que é melhor evitar os meses com maior risco de sargaço se o seu objetivo é viajar para a Riviera Maya para desfrutar das praias.

Se quiser verificar o estado atualizado das diferentes praias da Riviera Maya, existe uma página no Facebook chamada Red de Monitoreo del Sargazo de Quintana Roo, que actualiza frequentemente os dados. Também recomendamos a pesquisa de histórias do Instagram por localização para ver imagens em “tempo real” das praias que planeia visitar.

Chen Rio, uma das melhores praias da costa leste (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Procura turística em Cozumel

As alturas de maior procura turística (e, por conseguinte, quando encontrará mais pessoas, filas mais longas, preços mais caros e mais dificuldades para chegar aos restaurantes ou locais mais famosos) são:

  • Carnaval (fevereiro)
  • Páscoa (março/abril)
  • verão (junho a outubro): para além de ser a época das férias escolares em muitos países e de aumentar a procura (e os preços), é também a época das chuvas e dos furacões.
  • Feriados (novembro, dezembro)
  • Natal-Véspera de Ano Novo-Reis (das duas últimas semanas de dezembro até 5 de janeiro, é provável que encontre preços mais elevados, alojamentos esgotados e excursões completas).

Por isso, recomendamos-lhe que evite estas datas se quiser desfrutar da ilha a um ritmo mais calmo e com melhores preços de alojamento.

San Miguel de Cozumel. (Fotografia de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Festas importantes em Cozumel

Se quiser estar em Cozumel para as maiores festas do ano, não perca a oportunidade:

  • Carnaval (fevereiro): Cozumel tem 146 anos de tradição carnavalesca e a celebração da ilha inclui a coroação dos reis e rainhas do Carnaval, desfiles de carros alegóricos, trupes de dança vestidos com fantasias, luzes, fatos e máscaras originais; concertos e a tradicional “Queima de Juan Carnaval” para culminar a celebração.
  • A Feira de El Cedral e a Festa da Santa Cruz de Sabán (de finais de abril a 3 de maio): é uma das celebrações mais antigas do país, realizando-se desde 1848. Durante estes dias realizam-se atividades religiosas, gastronómicas, culturais e desportivas.
Monumento ao Carnaval em Cozumel. (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Conclusão: os melhores meses para visitar Cozumel

Com base no que precede, se pretende visitar Cozumel com bom tempo (com menos risco de chuva e sargaço), os melhores meses são novembro, dezembro, janeiro e fevereiro, evitando as semanas com maior procura turística. Março a maio também é uma boa altura, embora muito quente e com uma elevada possibilidade de sargaço.

Chegada a El Cielo em dezembro (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Como chegar a Cozumel

Existem duas formas de chegar a Cozumel: por via aérea ou por via marítima. Cozumel tem um aeroporto internacional com voos diretos de várias cidades do México (como Cancún, Cidade do México, Mérida ou Monterrey) e também de várias cidades estrangeiras, a maioria das quais dos EUA, como Chicago, Houston, Miami, Denver, Dallas, Atlanta, Austin ou Minneapolis, ou do Canadá, como Toronto. Se quiser voar para a ilha, recomendamos que utilize sites de comparação de voos como o Skyscanner e o Kiwi e que seja flexível com as datas para obter o melhor preço possível.

Por mar, é a outra opção, uma viagem de ferry de 30 minutos a partir de Playa del Carmen. Esta foi a nossa opção, e a que recomendamos, se estiver a fazer uma viagem a vários pontos da Península de Yucatán e da Riviera Maya. Há duas empresas que operam esta rota, a Ultramar e a Winjet (no Randomtrip fizemos a viagem com a Ultramar), e elas alternam entre uma e outra, com um barco de cada empresa saindo de hora em hora, dependendo do dia. Não há grandes diferenças entre as duas (a Winjet é uns cêntimos mais barata), e os preços dos bilhetes começam nos 280 pesos para cada sentido (cerca de 16€). Pode comprar antecipadamente os seus bilhetes para a Ultramar com a Civitatis (confirme no site da Civitatis, pois pode variar, e confirme também se tem de trocar o voucher pelos bilhetes à chegada ao porto, bem como os horários que mudam consoante o dia ou o mês):

Ferry da Ultramar no que viajámos de Playa del Carmen para Cozumel (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Preciso de um visto para viajar para o México?

Não, com o passaporte português não precisa de visto. Mas lembre-se que o passaporte deve ter uma validade mínima de 6 meses.

Quantos dias passar em Cozumel

No mínimo um dia, pode ir de manhã a partir de Playa del Carmen e regressar no último ferry (reserve o seu ferry de regresso), planeando bem o seu dia para fazer muito snorkeling nas águas cristalinas. Mas se puder dedicar pelo menos dois ou três dias para sair da rota mais óbvia e explorar o lado mais preservado da ilha, não se arrependerá e é a opção que recomendamos.

Nesta secção, partilhamos roteiros específicos de 1, 2 ou 3 dias para o ajudar a organizar a sua viagem a Cozumel.

No farol Celarain em Punta Sur (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

O que ver em Cozumel

Mapa de Cozumel

Aqui está um mapa do Google Maps que pode levar consigo no seu smartphone para utilizar durante a sua viagem, com todos os locais a visitar em Cozumel:

Breve introdução à ilha: o que gostaríamos de ter sabido antes de chegar a Cozumel

Cozumel é a terceira maior ilha do México, foi declarada Reserva da Biosfera pela Unesco e é reconhecida como um dos melhores destinos de mergulho do país. A biodiversidade da ilha não se esgota no fundo do mar, onde podemos ver um pedaço da segunda maior barreira de recifes do mundo, mas também a podemos apreciar à superfície, onde há a possibilidade de avistar mais de 400 espécies de aves.

Por curiosidade, a ilha tem nome de andorinha. Acontece que Cozumel vem das palavras maias Kosom lumil: kosom ou kusam significa andorinha e lu’um ou lumil significa terra, pelo que o nome viria de lugar das andorinhas ou terra das andorinhas e, segundo a história, havia muitas andorinhas por aqui. Com a chegada dos colonos espanhóis, a palavra foi adaptada a Cozumel.

Monumento às Andorinhas junto ao porto (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Infelizmente, é muito triste ver um recanto tão biodiverso e paradisíaco das Caraíbas mexicanas ser privatizado e deixado à mercê do classismo e de várias práticas de maus tratos a animais que já deviam ser proibidas.

Há três factores que nos ajudam a compreender no que Cozumel se tornou e o facto de, no que diz respeito ao turismo na ilha, a transparência se refletir apenas nas suas águas:

  • Cozumel é uma ilha que vive de e para os gigantescos navios de cruzeiro que aqui aportam todos os dias para deixar centenas de turistas durante algumas horas. O tipo de turismo que invadiu a ilha está adaptado ao ritmo dos cruzeiros, pelo que a maioria das atividades e clubes de praia da ilha estão orientados (tanto em termos de horários como de preços) para este tipo de turismo que usa e abusa dos recursos, deixando muito pouco em troca (sobretudo para a população local). Já agora, se quiser verificar quantos navios de cruzeiro atracam diariamente na ilha, visite este site. No Randomtrip usámos este site para definir o nosso roteiro e tentar fugir às multidões (embora seja difícil): nos dias em que chegam vários navios de cruzeiro à ilha, evite os clubes de praia na costa oeste… No nosso caso, em dezembro, no pior dia havia 7 cruzeiros que “invadiam” as praias e respectivos clubes de praia desta costa.
Número de passageiros de cruzeiros em todo o México em janeiro de 2024, onde Cozumel representou quase 50% do total. Fonte: El Economista
  • Cozumel é uma ilha com um aeroporto internacional com voos diretos não só de destinos dentro do México (como Cancún, Cidade do México, Mérida ou Monterrey) mas também de várias cidades estrangeiras, a maioria das quais dos EUA, como Chicago, Houston, Miami, Denver, Dallas, Atlanta, Austin ou Minneapolis, e também do Canadá, como Toronto. A grande afluência de turistas dos EUA é notória, tanto pelo facto de, na maioria dos locais, nos dirigirem a palavra diretamente em inglês, como pelo facto de nos fazerem questionar se a moeda local ainda é o peso mexicano, uma vez que, na maioria dos locais, os preços inflacionados aparecem, e são cobrados, diretamente em dólares…
  • A proximidade de Playa del Carmen, um dos epicentros turísticos da Riviera Maya, que fica a apenas meia hora de ferry, torna muito fácil para todos os que lá se encontram passar um, ou vários dias, na ilha em frente.
Artesanato de Cozumel adaptado ao turismo maioritário por aqui… (Fotografia de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

“Se falares espanhol, roubo-te menos” foi a primeira frase que ouvimos quando chegámos ao porto de Cozumel e, infelizmente, resume a sensação que tivemos durante a nossa estadia na ilha: a de que estávamos constantemente a ser roubados. Pensávamos que tínhamos chegado a um paraíso de águas transparentes onde poderíamos relaxar e acabou por ser um lugar onde tivemos de estar atentos para tentar sair com o menor prejuízo económico possível. É possível escapar a esta infeliz tendência turística ao explorar Cozumel por sua conta, e neste guia contamos-lhe como.

Cozumel é sinónimo de cruzeiro (Fotografia de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Punta Sur Eco Beach Park (Reserva Ecológica)

No extremo sul da ilha de Cozumel, encontra-se Punta Sur (Ponta Sul), um parque ecológico cujo objetivo é cuidar da fauna e da flora da reserva. Como tal, têm regras estritas (como não usar protetor solar para evitar danificar o ecossistema marinho e não fumar) e, ao contrário dos outros locais da ilha, o acesso à praia não é privatizado. Por aqui, o preço de entrada que paga no ecoparque permite-lhe usufruir de tudo o que está lá dentro, exceto o aluguer de equipamento de snorkeling (traga o seu nesta viagem, vale a pena), o aluguer de caiaques, massagens ou, claro, o que consumir em qualquer um dos sete bares ou restaurantes do ecoparque.

A bela praia de Chunchacab na Reserva Ecológica Punta Sur (Foto de Randomtrip – Todos os direitos reservados).

Preço: 357 pesos/pessoa (ou 21 dólares) para adultos e 238 pesos (ou 14 dólares) para crianças dos 4 aos 12 anos. Entrada gratuita para crianças com menos de 3 anos de idade.

Horário de abertura: Aberto das 9:00h às 16:00h de segunda a sábado (fechado aos domingos). Os preços e os horários de abertura estão sujeitos a alterações, verifique previamente neste sítio Web.

Como chegar: A melhor maneira de chegar a Punta Sur é com o seu próprio veículo (moto, carro, buggy ou jipe). Se preferir, pode contratar este passeio de 4×4 pelo Parque Ecológico Punta Sur (com clube de praia e almoço noutra zona incluídos).

Aqui dizemos-lhe tudo o que pode ver em Punta Sur:

Passeio no barco Tatich na Lagoa Colômbia

O preço da entrada inclui uma visita guiada no barco “El Tatich” à volta da Laguna Colombia, que recomendamos que faça. Esta excursão só se realiza 3 vezes por dia (12:00h, 13:00h e 14:00h), tem lugares limitados e dura aproximadamente 40 minutos, por isso, se a quiser fazer, o que recomendamos vivamente, certifique-se de que chega no mínimo 10 minutos mais cedo a este ponto.

O nosso guia durante o passeio de barco El Tatich na Laguna Colombia no Punta Sur Eco Beach Park (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Segundo a história, o nome Laguna Colombia vem de uma fazenda que existiu aqui entre 1880 e 1926, cujos proprietários eram da Colômbia. Tal como o recife de coral com o mesmo nome na ilha cujo nome vem do mesmo sítio.

Vê o crocodilo camuflado? Vimo-lo durante o passeio de barco El Tatich na Laguna Colombia, no Punta Sur Eco Beach Park (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Para além de vermos vários crocodilos (não jacarés) e observarmos algumas das mais de 400 espécies de aves existentes em Cozumel (como garças, patos-coco, abutres, flamingos, pelicanos, colhereiros rosados,…), na excursão aprendemos sobre as diferentes espécies de mangais, um ecossistema muito importante na captura de dióxido de carbono da atmosfera que, por sua vez, produz oxigénio, algo essencial para a vida. Existem quatro tipos de mangues e na ilha de Cozumel podemos ver os quatro: mangue vermelho, mangue preto, mangue branco e mangue amarelo.

Crocodilo entre mangais (Foto de Randomtrip – Todos os direitos reservados).

Para além de serem um dos ecossistemas terrestres mais produtivos do planeta e essenciais para muitas espécies, os mangais têm outras funções importantes , como a proteção contra furacões e intempéries. Disseram-nos durante a visita que o furacão Wilma, em 2005, foi devastador mas, nesta zona, o impacto foi muito menor graças aos mangais que a protegem.

Recomendamos vivamente o passeio de barco El Tatich em Punta Sur, incluído no preço de entrada na reserva (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Farol de Celarain

O Farol de Celarain está situado no final da Ponta Sul e o seu nome deriva do nome da própria Punta Sur: Punta Celarain.

O Farol de Celarain e, em baixo, a Casa do Farol e o Museu da Navegação (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Para além da deslumbrante vista panorâmica da ilha que faz com que valha a pena subir os 133 degraus do farol e da sua importante função de guiar os barcos, o farol Celarain guarda histórias e lendas do passado de Cozumel.

A recompensa depois de subir os 133 degraus: uma incrível vista panorâmica de 360º (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

A história diz-nos que este farol não é o original. O farol original era um farol de ferro, aparentemente criado pela própria Casa Eiffel, corroído pelo sal e pelo vento, que se revelou irrecuperável. Na primeira metade dos anos 30, foi construído um novo farol, em betão, com 33 metros de altura, que hoje é escalado por cerca de 300 pessoas por dia (recomendamos que vá à hora do almoço, como fizemos no Randomtrip, pois pudemos desfrutar da solidão).

Para além disso, este farol esconde uma lenda sobre como a indústria turística começou em Cozumel. Cozumel estava na rota do comércio marítimo entre vários portos das Caraíbas (principalmente na América Central, Cuba e Florida nos EUA) e este farol era um guia que evitava, por um lado, que qualquer navio encalhasse num dos seus recifes e, por outro, que danificasse (ainda mais) o ecossistema marinho de Cozumel.

Iguana em frente ao farol de Celarain (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Mas, segundo a lenda, houve um acidente. Em 1950, um navio que transportava bananas da Guatemala para o Alabama (EUA), pertencente ao investidor e exportador dos EUA, Charles Fair, sofreu um acidente e embateu no farol. Forçado a deslocar-se à ilha para tentar recuperar o seu barco, Charles ficou cativado pela beleza da ilha de Cozumel e prometeu regressar. E regressou. Quando regressou à ilha, foi acompanhado pelo seu amigo Richard Humphrey, um escritor da revista Holiday, que, ao publicar um artigo na sua revista sobre a ilha, tornou Cozumel famosa como destino turístico.

Para além de subir ao farol, no edifício construído para servir o farol encontra-se o pequeno Museu da Navegação e a Casa do Faroleiro, ambos com exposições onde poderá conhecer a fauna e a flora de Cozumel, bem como as diferentes expedições marítimas. Por exemplo, sobre a chegada de Juan de Grijalva a Cozumel em 1518 e a expedição de Hernán Cortés à ilha, no ano seguinte, que deu início à terrível conquista do México pelos colonizadores espanhóis. Ficámos também a saber neste pequeno museu que foi aqui, na ilha de Cozumel, que teve lugar a primeira missa documentada no México, a 6 de maio de 1518, no processo de evangelização forçada dos povos nativos da ilha, pelos colonizadores.

Janela para o mar enquanto subimos ao farol de Celarain (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Praias de Punta Sur

Não pode ir a Punta Sur sem dar um mergulho na bela Playa Chunchacab, considerada uma das mais belas praias de Cozumel. Para além da sua areia fina e macia, esta praia mantém a sua essência natural, algo infelizmente cada vez mais raro na ilha, e pode observar pássaros ao olhar para cima, e formações de coral ao olhar para baixo.

Praia de Chunchacab, uma das mais belas praias da ilha (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

esperguiçadeiras na praia e também vários restaurantes de praia onde pode comer qualquer coisa com os pés enterrados na areia.

Como lhe dissemos no início, com a entrada que paga quando entra na reserva não tem de pagar nada e não há consumo mínimo como nos clubes de praia do resto da ilha: aqui paga apenas o que consome, ou pode não consumir nada e apenas desfrutar da praia.

A Inês a relaxar na praia de Chuchacab (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Tenha em atenção que as praias de Punta Sur estão protegidas para permitir a nidificação das tartarugas marinhas, pelo que é possível que, quando lá for, alguns dos pontos de acesso estejam fechados. Respeite este facto.

RandomTip: É precisamente aqui em Punta Sur que encontra um dos famosos locais de mergulho da ilha, o local de mergulho chamado Garganta del Diablo (Garganta do Diabo). Se nunca mergulhou antes, e gostaria de experimentar, Cozumel é uma boa opção, pode reservar o seu batismo de mergulho em Cozumel aqui. Nesta secção do guia dizemos-lhe em que centro mergulhamos e em que locais de mergulho da ilha.

Praia de Chuchacab (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Sítio arqueológico El Caracol: património maia em Punta Sur

Esta pequena estrutura maia quase passa despercebida na estrada para o farol a partir da torre de observação, mas isso não diminui a sua importância histórica.

El Caracol, sítio arqueológico maia em Punta Sur (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Este vestígio arqueológico é dedicado a Ixchel, divindade da cultura maia, deusa do amor, da fertilidade e da água, e foi construído pela população maia no período pós-clássico tardio (900-1517 d.C.). O seu nome deve-se ao facto de ser dotado de uma cúpula que estava coberta de conchas marinhas incrustadas que produziam um zumbido em caso de ventos fortes, pois o Caracol funcionava como um marco para a navegação, alertando para a intensidade dos ventos na ilha.

Veja algumas das conchas do mar que ainda se encontram na sua cúpula (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

De acordo com o que lemos no Museu da Navegação do edifício do farol, na sua fase inicial, o Caracol tinha um alinhamento oeste-leste em direção ao ilhéu Celariano, a uns 550 metros de distância, e o nascer do sol pode ser visto nos dias 22 de fevereiro e 20 de outubro. Um alinhamento posterior define as datas de 12 de fevereiro e 30 de outubro num intervalo de 260 dias, que é precisamente a duração do calendário ritual pré-hispânico.

Lembre-se de que é totalmente proibido escalar estruturas arqueológicas na reserva ecológica.

Torre de observação

Subimos a esta torre de observação não só para ter uma vista incrível das três lagoas da reserva, as lagoas X’tacún, Chunchacab e Colômbia, mas também para observar crocodilos (vimos vários!) e diferentes espécies de aves desta reserva biodiversa, como flamingos e garças.

A Inês da Torre de Observação onde o Chris estava (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).
Crocodilo muito perto de nós, a chegar à Torre de Observação (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Tenha cuidado! É proibido tomar banho na praia mesmo em frente à Torre de Observação e também é proibido sair do passadiço de madeira. Adivinhe porquê…

RandomTIP: Se preferir fazer uma excursão a Punta Sur e não ter de alugar um veículo para se deslocar, pode contratar este passeio de 4×4 pelo Parque Ecológico de Punta Sur (com clube de praia e almoço noutra zona da ilha incluídos).

Mergulhar com estrelas-do-mar em El Cielo

Uma das “atividades estrela” (nunca melhor dito) que pode fazer em Cozumel é contratar uma excursão de snorkeling pelos melhores locais da ilha e contemplar as estrelas-do-mar que habitam o seu fundo marinho em El Cielo, uma das principais atrações de Cozumel.

Mergulhe em El Cielo e conheça as estrelas-do-mar, uma das razões mais populares para vir a Cozumel. Atenção! Se vir alguém a tocar numa estrela-do-mar ou a fazer algo que possa prejudicar a fauna local, comunique-o imediatamente. (Fotografia de Randomtrip, tirada por Memo da Maybe Tours. Todos os direitos reservados)

El Cielo é um banco de areia no meio de águas cristalinas que é considerado um santuário para estrelas-do-mar, mas essa não é a única coisa que verá aqui. Se tiver sorte, também poderá ver raias ratão-águia e tartarugas!

A “estrela” de Cozumel. (Fotografia de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

No Randomtrip, fomos com a Maybe Tours, o barco levava 10 pessoas, incluía um passeio (de barco) de 4 horas à volta da ilha de Cozumel, visitando primeiro o recife Colômbia, onde vimos raias ratão-águia, e depois parando no recife Palancar, onde vimos um verdadeiro jardim subaquático e onde, com sorte, pode ver tartarugas (embora infelizmente não tenha sido o nosso caso).

Uma das belas raias ratão-águia que vimos no Recife Colombia (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)
Recife Palancar (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Em seguida, uma breve paragem em El Cielo para ver as estrelas-do-mar (esperávamos passar mais tempo aqui, mas a paragem foi demasiado curta) e, finalmente, a praia de El Cielito, uma paragem final para uma bebida perto da costa (pouco profunda, não no areal) em algumas das águas mais límpidas e turquesa de toda a excursão.

As águas de El Cielo são verdadeiramente incríveis. Reserve a sua excursão de snorkeling a El Cielo e Palancar, algumas das melhores águas da ilha, aqui (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Preço: As excursões ao El Cielo custam cerca de 750 pesos/pessoa (650 pesos/crianças dos 5 aos 11 anos) e partem de manhã (10:00h) e à tarde (14:00h). As excursões incluem equipamento de snorkeling, barbatanas e colete salva-vidas, bem como fruta, água, refrigerantes ou cervejas.

Reservar a excursão a El Cielo não foi fácil porque as agências deram-nos preços diferentes, que eram muito duvidosos e mudavam muito para a mesma excursão, além de não saberem quem é o operador final com quem vai fazer a excursão. Se não quiser preocupar-se, reserve a sua excursão online aqui (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Se preferir reservar online a excursão assim que souber o dia em que vai, esta excursão inclui um passeio de catamarã, bem como snorkel em Palancar e El Cielo. Se preferir, tem este outro passeio com snorkeling mas num barco com fundo transparente). E finalmente, este outro passeio inclui apenas snorkeling em vários pontos da ilha, incluindo El Cielo, e tem uma duração de 4 horas.

A Inês feliz nas águas límpidas de El Cielo (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Importante: Promova o turismo responsável e se vir alguém a tocar ou a tirar uma estrela-do-mar da água, comunique o facto às autoridades e à empresa de animação turística. No nosso caso, felizmente, não vimos ninguém a fazer isso, embora tenhamos visto alguns guias de outras excursões a deixar cair comida para os peixes durante o snorkel, fazendo com que todos os peixes fossem para junto do guia para “divertimento” das pessoas da excursão.

Praias e clubes de praia de Cozumel

Como referimos no início do guia, infelizmente Cozumel tem seguido uma tendência turística que já tínhamos vivido em Tulum, que é a privatização das praias, só acessíveis a quem pode pagar pelo acesso às mesmas, através de uma taxa de entrada e/ou consumo mínimo num clube de praia. A grande maioria destes clubes de praia em Cozumel situa-se na costa oeste da ilha, onde as praias são melhores, com águas mais claras e calmas, e têm a particularidade de não só os preços mas também os horários de funcionamento serem adaptados aos cruzeiros, pelo que muitos deles fecham entre as 16:00h e as 17:00h (uma vez que os passageiros dos cruzeiros têm de regressar antes das 18:00h).

Beach Club na costa oeste com os preços diretamente em dólares (muitas das pessoas que vêm nos cruzeiros nem sequer trazem pesos mexicanos) e a informação está em inglês, porque não é propriamente dirigida aos locais… (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Para escapar a esta tendência da costa oeste, o melhor é alugar um carro e explorar as praias menos turísticas mas mais selvagens da costa leste, onde o vento sopra mais forte e nem sempre é fácil ou mesmo possível entrar. Existem também algumas formas gratuitas ou mais económicas de desfrutar das belas praias da costa oeste. Eis as nossas recomendações.

Praia de São Martinho na costa leste da ilha (Foto de Randomtrip – Todos os direitos reservados).

Isla de la Pasión

Existe uma ilha privada com menos de 2 quilómetros de comprimento no extremo norte de Cozumel, separada pela chamada Laguna Ciega, que esconde belas praias e recifes, chamada Ilha da Paixão. Três ecossistemas (mangue, selva e recifes de coral) coexistem na ilha, que era um local sagrado para os Maias, onde se venerava a deusa Ixchel, deusa do amor e da fertilidade. Nessa altura, os casais faziam peregrinações a Mukyaj Peten (o nome maia da ilha) porque se acreditava que um casamento celebrado aqui, duraria para a eternidade. É por esta razão que, atualmente, é chamada a ilha da Paixão e é um local escolhido por muitos casais para celebrar o seu casamento.

isla de la Pasión (Ilha da Paixão). Foto de México Desconocido

Como chegar: Por conta própria, terá de ir até ao cais de Colibrí (vá devagar, pois a estrada aparentemente não está em muito bom estado) e estacione a sua mota ou carro no parque (o estacionamento é gratuito). Depois apanhe o barco para a Isla de la Pasión/Ilha da Paixão (150 pesos/pessoa ida e volta) e em menos de 10 minutos estará na ilha. Não se esqueça de combinar a hora de regresso com o capitão do barco.

Se preferir ir numa excursão, pode reservar a sua excursão à Isla de la Pasión diretamente aqui

Playa de San Francisco

Como acontece em praticamente todas as praias da costa oeste de Cozumel, ao chegar à praia de San Francisco encontrará não só uma praia de areia fina e branca e mar azul-turquesa, mas também um clube de praia com o mesmo nome, o San Francisco Beach Club, que cobra uma taxa mínima de 20 dólares (cerca de 340 pesos) para ter acesso à praia e usufruir dos serviços disponíveis, como redes, restaurante e insufláveis. O clube de praia abre às 9h e fecha às 17h, com o bar e a cozinha a encerrarem às 16h.

O pedaço de praia livre que encontrámos na Praia de São Francisco. Os insufláveis do Sr. Sanchos Beach Club ao fundo (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

No entanto, nesta praia encontrámos algo raro em Cozumel: uma pequena entrada gratuita para a praia! A entrada (aqui está a localização exata) situa-se à esquerda do Beach Park de Playa Mia, é discreta e os portões (abertos) dizem “Acesso Proibido, Entrada e Saída de Veículos” para o desencorajar de passar, embora lhe lembremos que as praias são públicas no México, o que acontece é que privatizam o seu acesso… Embora não seja um grande areal, é uma zona encravada entre dois clubes de praia, mas pode dar um mergulho e deitar-se ao sol sem pagar num desses clubes.

Beach Club Playa Mia do barco em que fomos ao Recife Palancar na excursão El Cielo (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Praias gratuitas “sem nome” na costa oeste

Durante os nossos passeios de mota pela ilha, na costa oeste (onde é praticamente impossível aceder à praia sem passar por um hotel e/ou clube de praia), vimos alguns acessos não sinalizados onde é possível deixar a mota e aceder a pequenos pedaços de areia com praia, e onde pode fazer snorkeling ou simplesmente relaxar um pouco.

Uma das praias da costa oeste que pode ser acedida gratuitamente. Veja como (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Recomendamos que siga pela Carretera Costera Sur (a estrada antiga, agora a que contorna a ilha é a C-1), na parte em que é possível (ao descer, chegará a um ponto em que o acesso a veículos motorizados é proibido, pois foi reservado para o ciclismo), e que vá devagar para prestar atenção aos buracos (pode vê-los a partir da estrada). Se quiser, pode colocar este ponto no seu GPS para aceder à estrada e continuar a partir daí sem sair dela. Se preferir planear com antecedência, pode também utilizar o modo “Street view” do Google Maps para identificar alguns destes locais.

O ideal é ir devagar e com cuidado, com a sua mota ou buggy, pela estrada da costa sul e encontrará surpresas como esta (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Playa Palancar

Para desfrutar da praia de Palancar, uma das mais belas da ilha e a mais próxima do famoso El Cielo, terá também de aceder ao seu clube de praia, o Playa Palancar Cozumel Beach Club. Embora tenha sido uma opção altamente recomendada por ter um consumo mínimo obrigatório, baixo, desde o final de 2023 passou a sera obrigatório pagar uma taxa de entrada, independentemente de consumir ou não, limitando o seu acesso. Tem duas opções para entrar:

  • Pague 350 pesos ou 20 dólares (15 dólares para crianças dos 5 aos 11 anos): inclui o acesso, um cocktail de boas-vindas e outras instalações (redes, piscinas e casas de banho) e, se quiser uma cama balinesa, o preço é de 27 dólares.
  • Pague $45 ($35 para crianças dos 5 aos 11 anos): inclui, para além do acesso, 10 minutos de caiaque, 2 bebidas (água, refrigerante ou cerveja) e uma escolha de nachos ou hambúrguer.
Entrada do Playa Palancar Beach Club (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Este clube de praia abre às 9:00h e fecha às 17:00h (hora a que a maioria dos cruzeiristas regressa aos navios). Quando chegámos à praia para saber como a aproveitar, às 13:00h, disseram-nos que já não havia espreguiçadeiras disponíveis, por isso o nosso conselho é que, se quiser ir, é melhor levantar-se cedo porque a multidão dos cruzeiros vai lá estar. A música e os decibéis no clube de praia eram tudo menos relaxantes, por isso, se estiver à procura de uma festa, pode ser uma boa opção, mas como praia para relaxar e desfrutar, não parece ser o sítio certo. No Randomtrip, acabámos por não entrar nesta.

Beach Club de Playa palancar, a partir do exterior (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Se preferir visitar a praia de Palancar sem o clube de praia, esta excursão inclui um passeio de catamarã (ou de barco de fundo transparente, se preferir) ao longo de Palancar e El Cielo.

Skyreef Beach Club

Não é uma praia propriamente dita, pois não tem areia, mas o Skyreef Beach Club Cozumel é um excelente local para a prática de snorkeling, pois tem um pequeno acesso à água e na água há várias zonas rochosas onde existe muita vida marinha.

Acesso ao Skyreef Beach Club para um mergulho com snorkel (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Foi um dos clubes de praia que visitámos pois tinha um consumo mínimo mais razoável (uma bebida por pessoa), e tem esperguiçadeiras para relaxar, mesas e cadeiras, etc.

O Skyreef Beach Club é mais recomendado para a prática de snorkeling do que para a praia, uma vez que não existe uma praia de areia, mas existem esperguiçadeiras onde pode relaxar depois de fazer snorkeling (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).
Para além do mergulho, desfrutámos de um belo pôr do sol em paz e sossego, depois de a maioria dos visitantes dos cruzeiros terem partido por volta das 16:00h. (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados.)

Mr. Sanchos

Outro clube de praia que visitámos no Randomtrip na costa oeste foi o Mr. Sanchos, que tem uma praia, esperguiçadeiras onde relaxar e deixaram-nos entrar com um mínimo de uma bebida por pessoa (porque chegámos tarde, por volta das 15:00h, e eles fecham às 17:00h, embora às 16:30 fechem o serviço de bar e comecem a arrumar as esperguiçadeiras).

Beach Club Mr. Sanchos por volta das 16:30h… já com as espreguiçadeiras arrumadas (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Existe também uma piscina e na própria praia há uma área gigante com insufláveis. Se chegar cedo, a entrada mais barata é de 5 dólares por pessoa, sem acesso à piscina, ao buffet ou aos insufláveis, uma vez que estas áreas estão reservadas para quem paga a entrada com tudo incluído.

Beach Club Mr. Sanchos (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Playa El Mirador

A praia de El Mirador situa-se já na costa leste da ilha, onde se encontram as praias mais selvagens, não privatizadas e menos exploradas turisticamente (ao contrário da costa oeste).

Praia de El Mirador, na costa leste da ilha (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

No caso da praia de El Mirador, quando lá fomos, o mar estava tão agitado e o vento tão forte que era impossível entrar, pelo que nos limitámos a apreciar a paisagem. Chama-se El Mirador porque é um bom sítio para observação de aves.

Praia de El MIrador (Fotografia de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Playa Bonita

Uma das praias mais populares para os surfistas em Cozumel é a Playa Bonita, pois caracteriza-se por ventos fortes, o que a torna ideal para a prática de surf, windsurf e kitesurf .

Praia Bonita, Cozumel. (Fotografia de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Uma curiosidade sobre esta praia é o facto de um crocodilo ter sido visto a surfar nas ondas no verão de 2023…

Parece que não são só as pessoas que surfam nas ondas de Playa Bonita… (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Playa de San Martín

Outra praia na costa leste da ilha, e por isso menos concorrida, é a Playa San Martín. É um local praticamente intocado e muito pouco concorrido que se estende por 3 quilómetros ao longo da costa. Embora as águas cristalinas sejam convidativas, é aconselhável ter cuidado ao nadar devido às fortes correntes. No Randomtrip não chegámos a nadar, mas apreciámos a vista do miradouro.

Miradouro com vista para a praia de San Martín (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Se preferir contratar uma excursão, este passeio de jipe ao longo da costa leste de Cozumel inclui uma paragem na Praia de San Martín , bem como uma visita à Caverna de Jade, um mergulho num cenote e uma visita a uma fábrica de tequila, com transferes, almoço e snorkeling incluídos.

Praia de San Martin com bandeira vermelha (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Playa Chen Rio

Como tínhamos lido que era uma das melhores ou mesmo a melhor praia da costa leste de Cozumel, tínhamos grandes expectativas (algo que nunca deve fazer numa viagem, mantenha sempre as suas expectativas baixas) e a verdade é que ficámos um pouco desiludidos com Chen Rio.

Chen River Beach (Fotografia de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

O seu nome vem do rio que antigamente corria pelo mar e formou esta praia e os seus mangais. O que se destaca na Chen Rio são os blocos rochosos que formam uma enorme piscina natural separada, e segura das correntes marítimas, onde está sempre calmo e ideal para nadar, algo invulgar nesta costa.

As pedras rochosas formam uma enorme piscina natural separada e segura das correntes, e é a favorita de jovens e idosos. Praia do Rio Chen (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)
Chen River Beach (Fotografia de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Existem também vários restaurantes nas proximidades, onde pode comer ou tomar uma bebida. Se não quiser, pode simplesmente desfrutar da praia, sem qualquer custo.

A praia de Chen Rio, à direita, onde as correntes marítimas já são mais fortes (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Playa de Punta Morena

Considerada a melhor praia para a prática de surf na ilha, Punta Morena é um dos últimos vestígios de praias virgens na ilha. No entanto, se gosta mais de mergulhar do que de surfar nas ondas, esta pode não ser a sua melhor opção.

Zona Arqueológica de San Gervasio

San Gervasio, o principal sítio arqueológico de Cozumel, é teoricamente dedicado à deusa Ixchel, a deusa da fertilidade, do parto, da medicina e da tecelagem. Por esta razão, as mulheres maias das várias povoações da península de Yucatán peregrinaram ao santuário de Ixchel, em Cozumel, em algum momento das suas vidas.

Para os Maias, a ilha de Cozumel era importante, não só como santuário da deusa Ixchel, mas também como um importante porto comercial. (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados.)

No entanto, de acordo com o Instituto Nacional de Arqueologia do México (INAH), estas referências correspondem, na realidade, a um povoado maia destruído durante a colonização espanhola, que se situava onde atualmente se encontra a cidade de San Miguel de Cozumel. Recorde-se que Juan de Grijalva chegou à ilha com quatro galeões em 1518, e um ano depois, em 1519, Hernán Cortés chegou e destruiu grande parte dos altares e povoações maias. Supostamente, era nesta povoação maia que se encontrava o oráculo da deusa Ixchel, enquanto que na povoação de San Gervasio não foram encontradas provas arqueológicas que a relacionem com o culto de Ixchel.

Estrutura de Kana Nah (Casa Alta) em San Gervasio, uma das maiores da zona arqueológica (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Para os Maias, a ilha de Cozumel era importante, não só como santuário da deusa Ixchel , mas também como porto comercial. A partir do ano 1000 d.C., com a ascensão de Chichén Itzá como grande centro político e económico da península de Yucatán, San Gervasio integrou-se numa rede económica cada vez mais intensa, que a levou a tornar-se uma grande cidade a partir de 1200 d.C. Durante o período pós-clássico tardio (1200 – 1450 d.C.), foram construídas a maior parte das estruturas que hoje podem ser visitadas, e estabeleceu-se uma rede de comunidades mais pequenas, dependentes de San Gervasio e localizadas em toda a ilha de Cozumel.

A estrutura de Pet Nah (Casa Redonda) foi uma das estruturas mais importantes de San Gervasio durante o período Clássico Tardio (600-1000 d.C.), uma vez que era o centro de governo, onde residia o senhor do sítio (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Na ilha existem mais de trinta povoações maias com indícios de ocupação, uma dezena das quais são sítios arqueológicos, embora nem todas estejam abertas ao público. Os sítios arqueológicos que pode visitar em Cozumel são San Gervasio, El Caracol (dentro do Parque Ecoturístico Punta Sur) e El Cedral, na pequena comunidade com o mesmo nome, no sul da ilha.

Estrutura Nohoch Nah (Casa Grande), um templo de ponto obrigatório na entrada ou saída de San Gervasio por estar localizado justamente no Sacbé 1 (os sacbes são os caminhos brancos que ligavam pontos importantes nos assentamentos maias). Tinha um altar no meio do recinto onde eram depositadas as oferendas (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Preço da Zona Arqueológica de San Gervasio: 221 pesos/pessoa

  • Preço de entrada no INAH: 95 pesos/pessoa
  • Preço de entrada na Fundação de Parques e Museus de Cozumel: 126 pesos/pessoa

Horário de funcionamento: de segunda-feira a domingo, das 09:00h às 15:30h.

A estrutura “Las Columnas” é composta por sete colunas, um banco que percorre o interior e um trono ou altar e foi utilizada para depositar seis enterramentos junto dos quais foram encontradas várias oferendas (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Como chegar: O sítio arqueológico de San Gervasio está localizado a 7 km a leste de San Miguel de Cozumel, e é facilmente acessível através da estrada transversal da ilha, se tiver o seu próprio veículo, ou seja, se tiver alugado um carro ou uma mota na ilha (ou se tiver trazido o seu veículo no ferry de Playa del Carmen). Se não tiver um veículo, pode reservar uma excursão a San Gervasio aqui.

Uma família de quatis cumprimentou-nos à saída do sítio arqueológico de San Gervasio, no parque de estacionamento. Conseguimos tirar uma fotografia a este antes de se irem embora (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

São Miguel de Cozumel

A pequena cidade de San Miguel de Cozumel foi onde fizemos a nossa base de exploração, a uma curta distância, a pé, do porto do ferry, e com muitas opções para almoçar e jantar. No nosso caso, mais especificamente, ficámos no Hotel Puerto Libre.

No Randomtrip ficámos no Hotel Puerto Libre, num quarto com terraço e vista para o mar, a uma curta distância a pé do ferry.

Embora as coisas mais interessantes para fazer na ilha se situem fora da cidade, há também alguns planos por aqui.

Museu da Ilha de Cozumel

Este museu dedicado à história, à cultura e ao ecossistema de Cozumel, foi recentemente renovado e dispõe agora de 11 salas interativas para conhecer melhor a origem, a diversidade natural e a resiliência do povo local, uma sala dedicada à tradição carnavalesca da ilha e alguns espaços reservados às várias exposições temporárias que por aqui passam.

Preço: 153 pesos/pessoa (entrada gratuita para crianças com menos de 3 anos).

Horário de abertura: Terça-feira a Domingo das 9:00h às 17:00h. Encerrado às segundas-feiras.

Monumento aos Recifes de Coral

Do outro lado da rua, mas muito perto do museu, na mesma avenida, encontra-se este monumento onde muitas pessoas vêm para tirar fotografias, especialmente bonitas ao pôr do sol. Está situado mesmo ao lado do porto e tornou-se um ponto emblemático de Cozumel. A escultura pretende alertar para a importância da conservação dos corais, um ecossistema único, sobretudo aqui onde passa a segunda maior barreira de corais do mundo e onde o mergulho junto aos recifes é uma das atrações da ilha. Consideramos curiosa (para não dizer cínica) a presença deste monumento, tendo em conta a tendência turística que Cozumel adotou, em que o respeito pelo ambiente (e portanto pelo recife de coral) é negligenciado em detrimento do respeito pelo dólar. Resta esperar que este monumento sirva para lembrar a importância e inverter, em algum momento, as más decisões (e gestão) que estão a ser tomadas atualmente em Cozumel.

Monumento aos Recifes de Coral, um monumento que, na nossa modesta opinião, é bastante cínico actualmente…

Se preferir conhecer San Miguel de Cozumel pela mão de alguém com quem pode aprender muito, pode fazer esta visita guiada de 3 horas com um guia onde visitará os locais mais emblemáticos de San Miguel de Cozumel.

Mergulhar em Cozumel

A ilha de Cozumel é também muito conhecida pela prática de snorkeling e mergulho devido à biodiversidade que caracteriza os seus fundos marinhos.

Lembramos-lhe que aqui pode mergulhar no segundo maior recife do mundo, com muito boa visibilidade, e ver várias espécies de corais, tartarugas, raias-águia e mais de 300 espécies de peixes. Para além disso, existem locais de mergulho para todos os níveis, desde principiantes a avançados. Desde os recifes de Palancar, Colômbia, Paraíso, Punta Tunich, Chankanaab, Santa Rosa até à gruta submarina Garganta del Diablo ou o naufrágio Felipe Xicoténcatl.

A Inês, feliz, prestes a mergulhar em Santa Rosa (Foto de Randomtrip – Todos os direitos reservados).

No RandomTrip fizemo-lo com a Dive with Martin e gostámos muito. Neste caso a Inês decidiu fazer um refresh de dois mergulhos para relembrar um pouco o uso do equipamento (já não mergulhava há muitos meses) e o preço foi de 2820 pesos (ou 140 dólares) para dois mergulhos com equipamento incluído e um divemaster para ela nos dois mergulhos; também deixaram o Chris ir no mesmo barco fazer snorkeling enquanto a Inês mergulhava (embora normalmente cobrem 35 dólares por isso).

Adorou o local de mergulho de Santa Rosa. A parede de Santa Rosa faz parte do Grande Recife Maia e é uma queda deslumbrante para o azul, no sudoeste da ilha. Passar pelos pequenos arcos e túneis cobertos de corais coloridos e cumprimentar os peixes coloridos foi fantástico – que saudades!

A Inês a descer em direção a Santa Rosa (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Se quiser fazer uma das atividades estrela em Cozumel, reserve aqui o seu mergulho noturno num dos mais belos recifes da ilha.

Se nunca mergulhou antes, e gostaria de o fazer, Cozumel é o local ideal para se estrear. Se estiver disposto a isso, reserve aqui o seu primeiro mergulho em Cozumel.

A Inês feliz por ir mergulhar na segunda maior barreira de coral do mundo, em Cozumel. Se nunca mergulhou antes e gostaria de o fazer, Cozumel é uma excelente opção. Pode reservar o seu primeiro mergulho em Cozumel aqui e nesta secção do guia dizemos-lhe em que centro mergulhamos e quais os locais de mergulho na ilha.

Se preferir ver a vida selvagem marinha sem garrafa (e não for um mergulhador certificado), pode reservar esta excursão de snorkeling para ver tartarugas, raias ratão-águia e peixes coloridos.

Olá Estrela! Passeio de snorkel passando por El Cielo (Foto de Randomtrip, tirada por Memo da Maybe Tours. Todos os direitos reservados)

Esta outra excursão inclui um passeio de catamarã e mergulho com snorkel em Palancar e El Cielo, ou esta inclui um passeio de barco com fundo transparente e mergulho com snorkel.

Onde ficar em Cozumel

No Randomtrip, em Cozumel demo-nos um mimo a nós próprios porque os dias que passámos na ilha coincidiram com o aniversário do Chris e com a véspera de Natal, por isso escolhemos um hotel em San Miguel de Cozumel que era muito confortável, com uma localização central, a uma curta distância a pé do porto, perto de várias opções de restauração e da praça principal, e com um quarto com vista para o mar: o Hotel Puerto Libre.

O nosso quarto no Hotel Puerto Libre era enorme, com um terraço com vista para o mar e uma cama king size (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

O Hotel Puerto Libre tem a particularidade de ter sido o primeiro hotel da ilha e de ter sido recentemente remodelado. Tem vários tipos de quartos (a partir de 119€/noite) e, no nosso caso, ficámos no quarto King Ocean View. Para além das vistas, o quarto era muito espaçoso, o chuveiro era fantástico e a cama foi das mais confortáveis em que dormimos durante toda a viagem.

Quem precisa de televisão com este espetáculo? (mesmo assim, havia uma televisão enorme no quarto do Hotel Puerto Libre). (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

O Puerto Libre também tem uma piscina, embora não muito grande, e serve pequeno-almoço, embora seja à la carte e não esteja incluído no preço do quarto. Com vista para o mar, claro.

Pequeno-almoço no Hotel Puerto Libre (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Mais opções no centro, em San Miguel de Cozumel:

  • Casa Isabella (a partir de 34€/noite): quartos duplos num hotel com localização central, com piscina, banheira de hidromassagem e churrasco.
Casa Isabella. Foto de Booking
Xiknal Cozumel. Foto por Booking
  • Illa Cozumel (a partir de €133/noite): uma das melhores opções no centro, este hotel é muito agradável e tem um belo jardim e piscina. Além disso, o pequeno-almoço está incluído e cada quarto tem uma área de trabalho. Foi a outra opção que considerámos para a nossa estadia durante estes dias de capricho, mas não tinham disponibilidade.
Illa Cozumel. Foto de Booking
  • Kippal – Modern Oasis – ApartHotel (a partir de 223€/noite): hotel com piscina, vista para o mar e bar, ideal para grupos, pois dispõe de vários tipos de apartamentos para até 7 pessoas.

Mais hotéis no centro de Cozumel aqui

Se não se importar de ficar fora de San Miguel de Cozumel, onde se encontram a maioria dos restaurantes, lojas e o porto, e preferir o relax de uma casa, hotel ou resort com tudo incluído em frente à praia, com acesso à mesma, mas com opções de deslocações (e de refeições) mais limitadas, então veja estes alojamentos:

  • Maia Suites (a partir de 141€/noite): suites, algumas com banheira de hidromassagem, a 2 minutos a pé da Praia do Paraíso, piscina exterior, estacionamento privado gratuito e jardim.
Suítes Maia. Foto de Booking
  • Luxurious and spacious new condo Ocean View (a partir de 291€/noite): apartamento com 2 quartos para até 6 pessoas com piscina e vistas deslumbrantes sobre o mar. Ideal se estiver a viajar em família ou em grupo com o seu próprio carro.
Luxuoso e espaçoso novo condomínio Ocean View. Foto de Booking
  • Presidente InterContinental Cozumel Resort & Spa (a partir de 246€/noite): se procura um hotel à beira-mar com tudo incluído, este hotel tem acesso privado à praia (onde também pode fazer snorkeling), restaurantes, 2 piscinas exteriores, centro de fitness, 2 campos de ténis e spa com serviço de massagens. Não conhecemos o serviço que oferece porque no Randomtrip tentamos não ficar em hotéis com tudo incluído e de grandes cadeias, mas quem foi, diz que é um dos melhores do género na ilha.
Presidente InterContinental Cozumel Resort & Spa. Foto de Booking

Lembre-se de que os preços mencionados são aproximados e podem mudar consoante o tipo de quarto e a estação do ano.

Restaurantes que recomendamos em Cozumel

  • Vegan Barrio no Callejón de la Diez: Surpreendentemente, em Cozumel encontramos um dos melhores restaurantes veganos da viagem. Fica dentro do Callejón de la Diez, um local com várias barraquinhas de comida, bebida e sobremesa. Pagámos 340 pesos por 10 tacos (5 tacos de canasta e 5 tacos dourados) e 2 cervejas (cerca de 18€).
Vegan Barrio: gostámos tanto que repetimos a experiência.

Há várias opções de restauração no Callejón de la Diez e o espaço é porreiro!

  • Crazy King Burrito: famoso pelos seus burritos, pedimos 2 para levar e uma coca-cola e pagámos 335 pesos (cerca de 18 euros).
  • Burritos Gorditos: no dia em que íamos regressar a Playa del Carmen queríamos uns burritos para levar, o Crazy King Burrito, estava fechado por isso fomos a este, ao lado, também muito bom! Pagámos 250 pesos por um burrito e uma quesadilla para levar (cerca de 14 euros).
  • Jolly Cafe: fomos tomar o pequeno-almoço no dia do aniversário do Chris, as raparigas que nos serviram foram muito simpáticas e ajudaram a organizar uma pequena surpresa para o Chris (um brownie com uma vela para soprar), que não nos quiseram cobrar! Os pequenos-almoços são saborosos, embora um pouco caros, mas de boa qualidade. Pagámos 600 pesos por 2 pequenos-almoços, 2 cafés e um sumo de laranja (cerca de 32 euros).
  • Guido’s: um restaurante italiano orientado a turistas, claro (a maior parte da clientela quando fomos era dos EUA) e um pouco caro, mas de excelente qualidade, a lasanha, especialmente, era fantástica. Pagámos 1000 pesos (cerca de 54 euros) por um pão de alho, uma massa com alho e camarões, uma lasanha e 2 cervejas. Caro mas ainda hoje pensamos naquela lasanha…
  • Fonda Don José: não chegámos a ir, mas foi-nos recomendado pela sua comida local e barata.
  • Taqueria Molina: também não fomos, mas foi-nos recomendada para tacos baratos, no mercado (aberto apenas de manhã até às 13:00h).

Experimentámos algumas outras opções nos clubes de praia que visitámos, mas não as podemos recomendar, uma vez que a comida nos clubes de praia é muito cara e a qualidade é bastante mediana…

Roteiros em Cozumel

O que visitar e fazer em Cozumel em 1 dia

Muitas pessoas que vêm à Riviera Maya ou à Península de Yucatán com um calendário apertado passam apenas um dia a visitar Cozumel, quer numa excursão organizada a partir de Playa del Carmen (pode reservá-la aqui) ou de outros pontos ao longo da costa, quer utilizando o ferry de Playa del Carmen (o primeiro ferry de Playa del Carmen parte às 8:00h e o último de Cozumel parte às 21:00h, dependendo da época do ano).

Se for este o seu caso, aqui fica a nossa sugestão de roteiro para um dia em Cozumel:

  • Assim que chegar, comece o passeio de snorkeling que passa por El Cielo e outros locais onde pode ver estrelas-do-mar, tartarugas, raias-águia, muitos peixes e corais. Pode reservá-lo aqui para as 10:00h.
  • Depois, escolha entre:
    • Passe a tarde num clube de praia, desfrutando da praia (ou vá à praia gratuita indicada no guia e traga a sua própria comida para poupar dinheiro).
    • Vá ao parque de Punta Sur (com o seu próprio veículo se o trouxer no ferry, alugue um veículo na ilha ou contrate uma excursão) e dê a volta à ilha parando noutras praias da costa leste.
    • Visite a Zona Arqueológica de San Gervasio (com o seu próprio veículo se o trouxer no ferry, alugando um veículo na ilha ou alugando uma excursão).

O que visitar e fazer em Cozumel em 2 dias

Com dois dias em Cozumel pode combinar vários dos planos para conhecer mais coisas. Aqui está o nosso roteiro sugerido de 2 dias em Cozumel:

O que visitar e fazer em Cozumel em 3 dias

Na nossa opinião e com base na nossa experiência na ilha, 3 dias é o conjunto perfeito de dias para conhecer Cozumel. Aqui está o roteiro de 3 dias para Cozumel, que consideramos ideal para ver tudo o que a ilha tem para oferecer:

  • Dia 1: excursão de snorkeling a El Cielo para ver estrelas-do-mar de manhã, visita a San Gervasio à tarde.
  • Dia 2: De manhã, vá ao parque de Punta Sur (aproveitando o passeio de barco incluído), onde pode desfrutar da praia, e dê a volta à ilha parando noutros locais ao longo da costa.
  • Dia 3: Dia de descanso para relaxar numa das praias/clubes de praia de Cozumel e explorar as atrações de San Miguel de Cozumel.

Transporte: Como deslocar-se em Cozumel

A melhor maneira de se deslocar pela ilha e conhecê-la por conta própria, longe da bolha onde param todos os cruzeiros, é alugar um veículo: uma mota (que fizemos no Randomtrip), um buggy (mais caro do que uma mota, mas mais comum na ilha), um carro ou um jipe, ambas boas opções se não tiver experiência a conduzir uma mota. As tarifas de táxi são geralmente muito inflacionadas, pelo que não recomendamos esta opção, a menos que não tenha outra escolha. Se tiver o seu próprio carro ou se tiver alugado um carro para a sua viagem a outras partes da península de Yucatan, também pode trazer o seu carro no ferry para se deslocar em Cozumel.

No Randomtrip alugámos uma mota para os dias em que estivemos na ilha para a explorarmos por nossa conta. Aqui, explorando Punta Sur (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

No Randomtrip alugámos uma scooter por 4 dias para explorar a ilha com a HTL Rentals e correu tudo bem. A scooter não era propriamente nova, era bastante velhota, mas não nos deu problemas. O preço foi de 400 pesos/dia (cerca de 21 euros), incluindo responsabilidade civil e colisão, com uma franquia (que eles chamam de deducible) de 5000 pesos (que eles bloqueiam no cartão de crédito e desbloqueiam quando devolve a scooter). A devolução foi fácil e rápida e não tiveram qualquer problema.

Randomtrip com a mota em Punta Sur (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

O preço é elevado, tendo em conta que as scooters não estão no melhor estado, mas foi uma das melhores opções que encontrámos, uma vez que todos os serviços em Cozumel são caros, inflacionados e orientados para o turismo de cruzeiros e dos EUA…

Uma alegria conduzir em Punta Sur e na costa leste da ilha, onde quase não há carros (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Se preferir alugar um buggy para explorar a ilha mais confortavelmente (verá que é o meio de transporte preferido dos cruzeiristas), a HTL disse-nos que o preço do buggy manual era de 1000 pesos/dia e o buggy automático de 1300 pesos/dia.

Quando chegar à ilha, verá que os buggies são o meio de transporte mais comum (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

É fácil/seguro conduzir em Cozumel?

Na nossa opinião, sim, é fácil e seguro conduzir em Cozumel.

A estrada que circunda a ilha está geralmente em bom estado e o tráfego durante a nossa visita na época alta (Natal) não era muito intenso, especialmente depois de passar o primeiro troço de clubes de praia na costa oeste.

A estrada que circunda a ilha está em boas condições (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Alguns conselhos:

  • Quer alugue uma mota, um carro, um buggy ou qualquer outro tipo de veículo, deve saber que em Cozumel (e, em princípio, com base na nossa experiência, no México em geral) existe uma regra não escrita segundo a qual , se houver uma berma livre (especialmente nas estradas fora da cidade), deve encostar e conduzir na berma se vier alguém atrás, mais rápido, para o deixar passar.
  • Para aceder ao parque de Punta Sur, depois de pagar a entrada, a estrada não é asfaltada e tem muitos buracos. É totalmente viável de mota ou de qualquer outro tipo de veículo, mas deve ir devagar e prestar atenção a estes buracos para não ter um susto, danificar o veículo ou sofrer um acidente.
  • Em San Miguel de Cozumel, as ruas estão dispostas em grelha e, em geral, as ruas paralelas ao mar têm prioridade, enquanto as perpendiculares ao mar têm de parar em todos os cruzamentos com as paralelas. Em caso de dúvida, pare nos cruzamentos.
  • Irá encontrar uma série de “lombas” (topes): colocadas pelo governo e/ou pela população local para forçar os veículos a abrandar. Algumas estão bem sinalizadas, outras não, por isso tenha sempre o cuidado de conduzir lentamente sobre elas.
  • Se alugar um carro, informe-se junto do seu alojamento se este dispõe de lugares de estacionamento ou onde pode estacionar em segurança.
  • Quando descer pela costa oeste (a que fica em frente a Playa del Carmen, onde se situam as melhores praias e onde estão todos os hotéis e clubes de praia), recomendamos, especialmente se for de mota, que siga pela antiga estrada costeira (pode colocar este ponto no GPS para aceder a ela e, uma vez lá dentro, continue até não poder continuar, pois há um troço a partir do qual está limitado a bicicletas).
Coatí Crossing em Cozumel (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Se não quiser complicações ou não tiver tempo para explorar a ilha por sua conta, pode simplesmente passear pelo centro (se estiver alojado perto do porto, pode até fazer esta visita guiada) ou no seu alojamento junto à praia (pode contratar transfers de e para o porto ou aeroporto de Cozumel, se precisar) e reservar uma excursão para os pontos que lhe interessam ver na ilha:

Janela para o mar no Farol de Celarain (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Como aceder à Internet em Cozumel

Para ter sempre Internet no seu smartphone, a forma mais fácil e cómoda (se o seu telemóvel suportar eSIM) é comprar um cartão eSIM na Holafly, que tem dados ilimitados (obtém um desconto de 5% com o código RANDOMTRIP).

A outra opção, mais económica mas mais complicada, é comprar um cartão SIM local, que recomendamos que seja da Telcel (a principal empresa de telecomunicações do México, com maior cobertura no país).

Mais informações sobre como obter o seu cartão SIM ou eSIM no México neste guía específico só sobre isto.

Graças à Internet, pudemos falar com as nossas famílias no Natal a partir do meio do mar! (Fotografia de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Segurança: É seguro viajar para Cozumel?

Cozumel, como bolha turística dedicada aos cruzeiristas, é uma ilha totalmente segura. Sinceramente, os assaltos de que fomos vítimas na ilha são totalmente legalizados, ou seja, sentimo-nos roubados nos preços do alojamento, nas excursões e no aluguer de veículos, e não em qualquer tipo de furto que nos pudesse ter acontecido.

De qualquer forma, temos sempre o nosso seguro de viagem Iati (que também cobre os nossos pertences) como em todas as nossas viagens e dá-nos mais tranquilidade. Se subscrever o seu seguro de viagem através deste link da Randomtrip, terá um desconto de 5%.

A Inês a avistar crocodilos em Punta Sur (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Dinheiro em Cozumel: evite pagar comissões

Para pagar e levantar dinheiro no México minimizando as taxas, recomendamos os 2 cartões que utilizamos nas nossas viagens:

  • Revolut: com a versão gratuita, até 1000 euros sem comissão nos pagamentos com cartão (lembre-se de pagar sempre na moeda local – pesos mexicanos). Até 200 euros de levantamentos em caixas multibanco sem comissão; a partir daí, há uma comissão de 1%.
  • N26: com a versão gratuita, pode pagar com o seu cartão sem comissões sem limite. Para os levantamentos em caixas multibanco, é cobrada uma comissão de 1,7%, a qual pode eliminar pagando os planos mensais You (9,99 euros/mês, o que utilizamos) ou Metal (16,99 euros/mês).

É importante notar que, embora o seu cartão não cobre uma taxa pelos levantamentos nas caixas multibanco (ATM), as caixas multibanco no México cobram uma taxa pelos levantamentos. Os que cobram menos são o Banamex (47 pesos, 2,5 euros), o Banco Santander (34 pesos, 1,8 euros) e o Banco Azteca (34 pesos, 1,8€), por isso tente levantar o máximo dinheiro possível de cada vez para poupar dinheiro.

Outra questão importante quando se levanta dinheiro de uma caixa multibanco no México: muitas vezes a caixa multibanco pergunta-lhe se quer que a transação seja feita na moeda local (pesos mexicanos) ou na sua moeda (no nosso caso, euros): escolha sempre a opção da moeda local, caso contrário, aplicará uma taxa de câmbio desfavorável e estará a pagar mais (como uma comissão oculta).

O anterior também se aplica aos pagamentos com cartão (embora a opção quase nunca apareça, em diversas ocasiões ao pagar com cartão em estabelecimentos também vimos um valor em euros em vez de pesos). No nosso caso, acontecia-nos quase sempre com os terminais laranja da marca CLIP. Se isso acontecer consigo, peça à pessoa que faça o pagamento em pesos mexicanos.

Uma má prática muito habitual no México é que em qualquer negócio onde queira pagar com cartão, eles têm o hábito de pedir o cartão e fazer todo o processo, entregando-lhe o terminal apenas para inserir o PIN (no México chama-se “firma” ou NIP ). Isso significa que às vezes, dependendo do tipo de terminal, não vê o valor e/ou é cobrado na moeda original do seu cartão em vez de pesos mexicanos – fazendo com que perca dinheiro porque é aplicada uma conversão desfavorável. Peça sempre, educadamente, para ver o processo no terminal para garantir que o valor correto seja cobrado e na moeda local.

Por último, alguns estabelecimentos cobram uma comissão suplementar pelo pagamento com cartão (das vezes que nos aconteceu, foi de 5%), avisam-no sempre com antecedência e, caso não avisem, verá ao confirmar o montante. Nestes casos, é preferível pagar em dinheiro.

Gorjetas: no México está implementada a cultura da gorjeta, que embora não sejam e não possam ser obrigatórias por lei, realmente são na prática, dado que é mal visto não deixar gorjeta. Recomenda-se deixar um mínimo de 10% (normalmente será solicitado no momento do pagamento, e se pagar com cartão o terminal costuma dar a opção de adicionar 10, 15 ou 20% de gorjeta).

Recomendamos que adquira os dois cartões para a sua viagem ao México e que tente pagar com cartão sempre que possível e quando não houver comissão do próprio estabelecimento comercial.

“Feliz Navimar, ano próspero e felicidade” (Foto de Randomtrip, tirada por Memo de Maybe Tours. Todos os direitos reservados)

Quanto custa uma viagem a Cozumel?

Fazer um orçamento não é fácil pois depende muito do seu tipo de viagem: quantos planos quer incluir na sua viagem, se vai a restaurantes ou se vai cozinhar para poupar dinheiro, o tipo de alojamento que vai utilizar… Em todo o caso, para lhe dar uma ideia, eis os preços médios e o que consideramos ser o preço médio por dia (reiteramos que estes são preços ORIENTATIVOS e que podem mudar a qualquer momento):

  • Voos/transporte dentro do México: A partir de 550 pesos (30 euros) para um ferry de ida e volta a partir de Playa del Carmen. A partir de 2100 pesos (120 euros) para um voo de ida e volta a partir da Cidade do México. Utilize sites de comparação de voos como o Skyscanner e o Kiwi para encontrar o melhor preço.
  • Transporte: A partir de 400 pesos por dia (cerca de 21 euros) pode alugar uma mota para percorrer a ilha.
  • Alojamento: a partir de 650 pesos/noite (cerca de 35 euros/noite) para um quarto com casa de banho privativa ou um pequeno apartamento autossuficiente. Encontre alojamento de todos os tipos e preços no Booking, com até 15% de desconto.
  • Restaurantes: uma multiplicidade de opções de 120 a 500 pesos por pessoa (entre 7 e 27 euros por pessoa), para todos os gostos.
  • Taxas de entrada: alguns locais exigem uma taxa de entrada (Punta Sur 357 pesos – 19€-, San Gervasio 221 pesos -12€-, clubes de praia com consumo mínimo a partir de 100 pesos -5€-…).

No total, uma viagem de fim de semana (2 noites) a Cozumel pode custar-lhe entre 1000 e 1400 pesos por pessoa e por dia (entre 55 e 75 euros), com as opções de alojamento mais baratas, comendo em restaurantes baratos e visitando os locais com acessos pagos (Punta Sur, San Gervasio e pelo menos um clube de praia), partindo de Playa del Carmen de ferry. A este valor terá de acrescentar a deslocação para Playa del Carmen ou o custo do voo para Cozumel.

Desfrutar destas águas de Cozumel está a ficar mais caro… (Fotografia de Randomtrip. Todos os direitos reservados)

Apps úteis para se deslocar em Cozumel

  • Google Maps (Android/iOS): é o que usamos para guardar/classificar todos os sítios onde queremos ir/já fomos e como GPS, tanto para nos orientarmos na ilha como se alugarmos um carro/mota. Também inclui informações sobre os transportes públicos para ver o melhor percurso e os preços para se deslocar. Pode ver as opiniões de outras pessoas sobre os locais, fotografias, menus de restaurantes, números de telefone dos locais para os contactar, etc. Também pode abrir o nosso mapa com todos os locais incluídos neste guia.
  • Maps.me (Android/iOS): aplicação semelhante ao Google Maps, mas funciona offline (embora o Google Maps também possa funcionar offline, este funciona melhor) e, em muitos casos, tem informações que o Google Maps não tem.
  • Windy (Android/iOS/Web): aplicação essencial para as nossas viagens. Permite-lhe ver as previsões de chuva, nuvens, vento, etc. para o ajudar a planear os seus dias com base no tempo (pois há locais que perdem muito em função do tempo). Obviamente que as previsões não são 100% fiáveis.
  • Visite este site se quiser verificar quantos navios de cruzeiro aportam em Cozumel por dia. No Randomtrip este site foi super útil para definir o nosso percurso e tentar fugir às multidões, embora dependendo da época, seja difícil. No pior dia da nossa estadia, havia 7 navios de cruzeiro na ilha!…
Cozumel, a ilha dos cruzeiros. RandomTIP: nos dias em que chegam à ilha vários navios de cruzeiro, evite os clubes de praia da costa oeste…

Dicas para desfrutar de Cozumel e causar o mínimo impacto negativo possível

  • Não seja cúmplice de maus tratos a animais: não vá a nenhuma atração onde os animais estejam em cativeiro e/ou sejam utilizados para entretenimento humano. Isto significa não ir a atrações que são aberrações, como a Sting Ray Beach, o Dolphinarium ou o Chankanaab Park (onde os animais estão em cativeiro). Além disso, se vir alguém na famosa excursão El Cielo a tocar numa estrela-do-mar ou a fazer algo que possa prejudicar a vida selvagem local, comunique-o imediatamente.
  • Seja responsável ao visitar um local: um grande afluxo de pessoas a um determinado local pode ter um impacto negativo, por isso respeite as regras, não suba às árvores/monumentos que está a visitar, não pinte nas suas paredes, evite tocar-lhe e, por respeito ao resto das pessoas que visitam o local, não faça barulho nem o “monopolize” com as suas fotografias.
  • Tenha cuidado com os monumentos naturais e arqueológicos e respeite as regras em vigor.
  • Se alugar um carro ou uma mota, respeite os limites de velocidade nas estradas.
  • Evite utilizar plástico e não deite lixo para o chão
  • Respeite as outras pessoas: não ponha a sua música a tocar alto, apanhe o seu lixo, não deite pontas de cigarro, etc. Deixe o local melhor do que o encontrou.
  • Viaje sempre com um seguro de viagem: despesas médicas, roubo ou problemas com o seu avião durante uma viagem, podem custar-lhe muito dinheiro, por isso o ideal é fazer um seguro de viagem. No Randomtrip utilizamos sempre a IATI e recomendamo-la. Se subscrever o seu seguro através deste link tem um desconto de 5%.
Crocodilo no seu habitat, em casa na Reserva Ecológica de Punta Sur (Foto de Randomtrip. Todos os direitos reservados).

Checklist: o que levar na sua mochila/mala para Cozumel

Aqui está uma lista de artigos essenciais que não se pode esquecer de levar na sua viagem a Cozumel:

  • Adaptador de tomada internacional, uma vez que utilizam fichas do tipo A
  • Garrafa reutilizável como uma destas  para transportar sempre água consigo. Evitará a utilização de plástico de utilização única
  • Máquina fotográfica para registar as aventuras e mais tarde recordar. No Randomtrip usamos uma Sony ZV-E10 e uma Gopro Hero12 Black (para imagens subaquáticas) nas nossas viagens
  • Powerbank: com tantas fotos vai gastar muita bateria, por isso é sempre bom levar uma boa powerbank. No Randomtrip viajámos com estes dois powerbanks (Xiaomi 20000 mAh y  Anker 10000 mAh), que nos permitem carregar tanto os nossos smartphones como a câmara fotográfica.
  • Kit de primeiros socorros: no nosso kit de primeiros socorros há sempre algum medicamento contra o enjoo (como a biodramina para o enjoo nos barcos), antibióticos, anti-diarreicos (e alguns probióticos para recuperar mais rapidamente), anti-histamínicos, analgésicos e antipiréticos e, claro, o seguro de viagem. Se contratar o seu seguro de viagem através deste link terá um desconto de 5%.
  • Calçado Aquático Aquashoes como alguns destes ideais para levar sempre consigo para usar em superfícies rochosas ou escorregadias
  • Kit Snorkel (máscara e tubo de snorkel) como estes, imprescindível para levar nesta viagem e contemplar o fundo do mar. Além de ser mais higiénico porque não partilha o seu tubo de snorkel com mais ninguém, em vários locais não alugam este equipamento e, mesmo que aluguem, não é barato por isso usando algumas vezes já paga o preço do seu próprio kit.
  • Mochila à prova de água / Saco impermeável como um destes, muito útil para não molhar o seu equipamento fotográfico, telemóvel e carteira em qualquer passeio de barco (ou mesmo se a maré subir na praia)
  • T-shirt de proteção UV como alguma destas porque em algumas zonas da costa mexicana é proibido ou não recomendado o uso de protetor solar porque a sua composição prejudica o ecossistema marinho.
  • Protetor solar: embora não o possa usar nos dias em que entra no mar em muitos casos, deve proteger-se durante os seus passeios. Tente sempre escolher um protetor solar Reef Friendly, ou seja, que proteja a sua pele sem prejudicar os ecossistemas marinhos, evitando ingredientes como a oxibenzona e o octinoxato, que são prejudiciais para os corais. Também um protector que não tenha sido testado em animais.
  • Repelente de mosquitos, essencial não só para as incómodas picadas mas também para a sua proteção contra doenças como a dengue. No Randomtrip costumamos levar Relec Extra Forte mas leve o que preferir desde que contenha uma percentagem mínima de 15% de DEET (ingrediente recomendado pela OMS)
  • Toalha de secagem rápida como uma destas que, para além disso, não ocupa muito espaço na sua mochila/mala
  • Chapéu ou boné e óculos de sol para o proteger quando o sol está forte

Esperamos que este guia lhe tenha sido útil na organização da sua viagem a Cozumel, ajudando-o a saber o que fazer e o que evitar na ilha. Se tiver alguma dúvida ou atualização, deixe-nos um comentário – obrigado, Randomtripper!

Foi sem dúvida um Natal diferente (Fotografia da Randomtrip, tirada por Memo da Maybe Tours. Todos os direitos reservados)

Todas as fotografias e conteúdos são da autoria do Randomtrip (exceto aqueles que expressam claramente a sua fonte) e têm todos os direitos reservados.

Disclaimer: este guia contém links de afiliados e, ao usá-los, estará a dar uma pequena comissão ao Randomtrip. A si não lhe custa nada, por vezes até ganha um desconto, mas a nós motiva-nos para continuar a criar guias gratuitos tão completos como o que acabou de ler.

Gostou do nosso guia? Pode poupar e apoiar o nosso trabalho!

Se o nosso guia foi uma boa ajuda para a sua viagem, pode apoiar este projeto e poupar nas suas reservas usando os seguintes links:

  • 5% de desconto no seu seguro de viagens com a IATI
  • Até 15% de desconto na Booking.com
  • Alugue um carro ao melhor preço com DiscoverCars
  • Reserve os seus tours com antecedência e não fique sem lugar com a Civitatis
  • Encontre voos baratos no Skyscanner e na Kiwi
  • Não fique sem internet na sua viagem com os cartões SIM da Holafly até 5% de desconto (usando o código RANDOMTRIP)
  • Faça os cartões Revolut e N26, com os quais pode levantar dinheiro sem comissões em multibancos de todo o mundo

Para além disso, se quiser contribuir para a nossa criação de guias de viagem completos e gratuitos como este, existe outra forma de apoiar o nosso projeto: pode fazer um donativo (com Paypal ou cartão) e convidar-nos a um pequeno-almoço (5€), uma refeição de street food (10€) ou um jantar no destino que estamos a explorar (20€) que depois recomendaremos no guia do destino. Ou pode também fazer um donativo pelo valor que desejar. Mais info aqui

Muito obrigada pelo seu apoio, Randomtripper! Vemo-nos pelo Mundo!

5/5 - (4 votes)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *